Menu
Brasil

Homem sequestra ônibus no Rio; crianças e idosos estão entre reféns

O veículo ia para outra cidade, mas o destino não foi confirmado pela PM. Ainda não há informações se há um único criminoso ou mais de um

Redação Jornal de Brasília

12/03/2024 17h19

Foto: Agência Brasília

Dezoito passageiros são mantidos reféns dentro de um ônibus na rodoviária do Rio de Janeiro, na tarde desta terça-feira, 12, de acordo com a Polícia Militar. Ainda segundo a corporação, há idosos e crianças entre os reféns, e três pessoas se feriram.

O veículo ia para outra cidade, mas o destino não foi confirmado pela PM. Ainda não há informações se há um único criminoso ou mais de um, nem qual seria a exigência para liberar os reféns.

Pelo menos dois feridos por disparos de arma de fogo foram levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar. Um deles, conforme a Secretaria de Saúde da capital fluminense, é um homem de 34 anos, que tem estado grave de saúde e passa por cirurgia.

A rodoviária, situada na avenida Francisco Bicalho, no centro da cidade, está fechada e cercada por policiais militares. Equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), a tropa de elite da PM fluminense, atuam no episódio.

Segundo passageiros relataram à Globo News, houve tiroteio e tumulto por causa da ação do criminoso. Imagens que circulam nas redes sociais também mostram a correria no saguão da rodoviária, usada por cerca de 38 mil passageiros diariamente – o número chega a 70 mil em fins de semana e feriados.

Sequestro de ônibus 174, em 2000, durou quase 4 horas

O Rio de Janeiro já viveu outros episódios semelhantes no passado. Em junho de 2000, um ônibus da linha 174 foi sequestrado na Rua Jardim Botânico por volta das 14h20.

Dez passageiros ficaram sob o domínio do sequestrador Sandro do Nascimento por cerca de quatro horas, período em que policiais do Bope negociavam com o criminoso para a soltura dos reféns. O caso ganhou repercussão nacional, e o sequestro foi transmitido ao vivo pelas TVs.

O sequestrador saiu do veículo usando a professora Geise Firmo Gonçalves como escudo e ela acabou morta. Um dos policiais do Bope se aproximou do criminoso, mas acertou a refém ao efetuar o disparo.

Nascimento ainda deu outros três tiros contra Geise. O sequestrador foi colocado em um camburão e morreu asfixiado dentro do veículo. Os agentes foram acusados de homicídio qualificado, mas foram absolvidos pelo Tribunal do Júri do Rio.

Em caso mais recente, em 20 de agosto de 2019, outro ônibus foi sequestrado no Rio de Janeiro, na Ponte Rio-Niterói. O sequestrador, identificado como Willian Augusto da Silva, manteve 39 passageiros reféns por mais de três horas.

O criminoso acabou sendo alvejado por um atirador de elite do Bope quando saiu do veículo e morreu no local. Descobriu-se depois que ele portava uma arma de brinquedo. Os reféns não ficaram feridos. O caso ficou marcado pela cena do então governador, Wilson Witzel, com os braços erguidos comemorando a morte do sequestrador e a conclusão do caso sem outros feridos.

Estadão Conteúdo.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado