Brasil

Discovery se desacopla da ISS e começa retorno à Terra

Por Arquivo Geral 05/11/2007 12h00

O ônibus espacial “Discovery” se desacoplou hoje da Estação Espacial Internacional (ISS) e começou o retorno à Terra com sete tripulantes a bordo, order informou um porta-voz da agência espacial americana Nasa na Rússia.

Durante os dezesseis dias de missão, os ocupantes do Discovery realizaram quatro caminhadas espaciais e consertaram os painéis solares que limitavam o fornecimento energético da plataforma orbital, segundo as agências russas.

A aterrissagem do Discovery deve ocorrer na quarta-feira no Centro Espacial Kennedy, no sul da Flórida, às 16h17 de Brasília.

O Discovery, que se acoplou à ISS em 25 de outubro, levou o módulo italiano Harmony e realizou diversos projetos na plataforma orbital, que tem a participação de 16 nações e um orçamento de US$ 100 bilhões.

Na terceira caminhada, os astronautas colocaram uma viga com painéis solares, de quase 15 toneladas e 35 metros de comprimento, no exterior da ISS.

Quando os painéis foram colocados, ocorreu uma avaria que os astronautas Scott Parazynski e Doug Wheelock consertaram com sucesso na quarta caminhada, considerada de “muito risco”, pois foi realizada da escotilha de entrada da ISS.

Dina Contella, responsável de missões extraveiculares da Nasa, descreveu a caminhada como “a mais perigosa e excitante” que tinha visto “em uns 12 anos”.

Parazynski fez os consertos preso em uma extensão de um braço robótico de quase 30 metros de comprimento a apenas alguns centímetros de distância dos painéis, pelos quais passava uma tensão de mais de 100 volts.

A caminhada durou 39 minutos a mais que o previsto, por isso, no final, os dois astronautas tinham níveis muito baixos de oxigênio.

Se o problema não tivesse sido resolvido, a ISS não teria sido capaz de gerar energia suficiente para dar apoio ao novo equipamento que deve chegar à ISS nas próximas missões, como o laboratório europeu que chegará em dezembro a bordo da nave Atlantis e o japonês que irá em fevereiro.

A atual missão do Discovery – que também levou à ISS o engenheiro de vôo Daniel Tani, em substituição do astronauta Clayton Anderson, que tinha chegado ao posto orbital em junho – durou dois dias a mais que o previsto.

Entre outros, esta missão do Discovery passará para a história pelo fato de que tanto a nave quanto a ISS foram comandadas por mulheres, Pamela Melroy e Peggy Whitson, respectivamente.

Atualizada às 15h54






Você pode gostar