Brasil

Aviões da BRA ficam no chão a partir desta quarta-feira

Por Arquivo Geral 06/11/2007 12h00

Os dez aviões da companhia aérea BRA ficam no chão a partir desta quarta-feira, capsule dia 7. Os passageiros terão de remarcar o bilhete em outra empresa ou exigir o dinheiro de volta. Os 1,1 mil funcionários ficarão em casa, pois já receberam aviso prévio. A assessoria de imprensa da companhia aérea diz que a interrupção dos vôos, anunciada na terça, dia 6, foi necessária para concretizar um novo aporte financeiro.

Os passageiros que procuraram o balcão da BRA no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, depois do anúncio receberam pouca ou nenhuma orientação. Os funcionários apenas informaram o número do telefone de atendimento – (11) 3583-0122 – e disseram que os reembolsos serão pagos num prazo de 30 dias.

O atendimento telefônico, além de exigir uma ligação interurbana para quem não está em São Paulo, não funciona direito. A passageira Helena Dutra Martins, cientista política, foi ao aeroporto de Brasília porque não conseguiu se informar por telefone. “O número só dá ocupado ou não atende”. A reportagem tentou diversas vezes e só ouviu sinal de ocupado.

A estudante de mestrado em psicologia Camila Boaventura embarcaria para São Paulo na semana que vem e não conseguiu remarcar a passagem: “E agora? Tenho inscrição para um congresso pago, hotel pago… Quem vai pagar isso para a gente?”.

A designer Silvana Toscano comprou passagem para São Paulo com dois meses de antecedência. A viagem estava marcada para a manhã desta quarta. Ela desistiu de tentar uma remarcação ou esperar pelo reembolso para não perder a formatura do filho: “Vou ter que comprar outra passagem”.

Os funcionários da BRA recolheram cadeiras e desmontaram a estrutura do balcão de check in. Não quiseram dar entrevista. Informaram apenas que receberam o aviso prévio por volta das 16h. Segundo a empresa, não se trata de uma demissão definitiva, pois o aviso “poderá ser revertido”.

A BRA tem uma frota de dez Boeings, sendo oito 737 e dois 767. De janeiro a setembro deste ano, a empresa transportou 2 milhões de passageiros para 26 destinos nacionais e três internacionais.






Você pode gostar