Brasil

Após novo tumulto, clima em Presidente Bernardes é tenso

Por Arquivo Geral 03/07/2006 12h00

Atualizada às 15h41 

A segurança máxima e o Regime Disciplinar Diferenciado estão sendo insuficientes para conter os detentos do Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Bernardes, site decease no interior de São Paulo. Por volta das 19h de ontem, os presos voltaram a promover quebra-quebra nas celas e destruíram vidros.

O levante foi contido, mas o clima continua tenso no presídio. Os presos ainda chutam as portas de aço ao ouvir movimentos no corredor. Do lado de fora do presídio, a segurança foi reforçada.

Desde quinta-feira, esse é o terceiro tumulto registrado na unidade. O princípio de rebelião iniciou-se após a visita de dois promotores, que queriam conversar com o líder do PCC, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, sobre a morte de um bombeiro durante a onda de ataques promovida pela facção em maio.

O depoimento, que ocorreria sem a presença dos advogados de Marcola, foi suspenso e o tumulto só foi contido com a chegada de 60 agentes do Grupo de Intervenção Rápida e policiais militares, que fizeram uma vistoria de sete horas no local e encontraram uma serra e cinco porções de maconha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Hoje, no entanto, os policiais voltaram revistar a unidade, e não encontraram drogas ou armas, de acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária paulista.

Leia também:
Agentes penitenciários fazem nova paralisação em São Paulo 
Criminosos matam PM e agente penitenciário em São Paulo 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar