Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Anvisa aprova uso infantil da Coronavac

O Butantan se baseou apresentou dados de um estudo que avalia a efetividade do imunizante tendo como base a vacinação de crianças no Chile

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) votou a favor da aplicação da vacina Coronavac, de forma emergencial, em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos de idade, nesta quinta-feira (20). O pedido feito pelo Instituto Butantan foi avaliado em reunião pela manhã.

Como não há registro definitivo da CoronaVac no Brasil, diferentemente da Pfizer e da AstraZeneca, a decisão ficou a cargo de uma diretoria colegiada, com votos separados em maioria simples.

Os diretores terão como base os subsídios apresentados pela Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos e pela Gerência de Farmaco vigilância. Cada diretor vai elaborar seu voto e, caso haja maioria simples pela aprovação, o uso emergencial será concedido.

Na terça-feira passada (11), O Butantan se baseou apresentou dados de um estudo que avalia a efetividade do imunizante tendo como base a vacinação de crianças no Chile. A Anvisa pediu esclarecimentos adicionais, que devem ser fornecidos na reunião desta quinta. Outra pendência são ajustes em relação ao plano gerencial de riscos.

Em agosto de 2021, a Anvisa reprovou, por unanimidade, a ampliação do uso emergencial da vacina CoronaVac em crianças acima de 3 anos. Atualmente, no Brasil, apenas a vacina da Pfizer tem autorização para ser aplicada em crianças, mas apenas naquelas com mais de 5 anos.








Você pode gostar