Menu
Brasil

Anac libera base aérea de Canoas para voos comerciais

A pista de Canoas será usada para este fim como uma das alternativas ao fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho

Redação Jornal de Brasília

19/05/2024 9h35

Foto: Esquadrão Pampa / Divulgação

JULIA CHAIB
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) autorizou o uso da base aérea de Canoas (RS) para voos comerciais. A liberação ocorreu na sexta-feira (17), após reunião extraordinária da diretoria do órgão.

A pista de Canoas será usada para este fim como uma das alternativas ao fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, em decorrência da tragédia climática que assola o Rio Grande do Sul.

O terminal servirá para operações civis, para transporte de passageiros e cargas enquanto perdurar o estado de calamidade pública no estado.

Segundo o ministro Silvio Costa Filho (Portos e Aeroporto) disse em 9 de maio, a base aérea de Canoas terá a capacidade ampliada para cinco voos diários, chegando a 35 semanais. A responsabilidade das operações ficará a cargo da concessionária Fraport, que administra o Salgado Filho.

O governo articulou o uso da base como uma das malhas aéreas emergenciais no estado. O aeroporto de Porto Alegre transportava cerca de 100 mil passageiros semanalmente. A Anac suspendeu a venda de passagens aéreas para voos com origem e destino ao Salgado Filho por tempo indeterminado.

O plano anunciado por Costa Filho prevê a ampliação da capacidade de sete aeroportos regionais do interior do Rio Grande do Sul e dois de Santa Catarina para que até 20 mil passageiros sejam transportados por semana no período, com a abertura de 13 mil novos assentos.

A previsão é que 116 voos comerciais sejam realizados semanalmente para o Rio Grande do Sul.

Além de Canoas, tiveram sua capacidade ampliada os aeroportos de Caxias do Sul, Santo Ângelo, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria e Uruguaiana.

A capacidade dos aeroportos de Florianópolis e Jaguaruna, em Santa Catarina, também foi ampliada.

MORADORES SEM ÁGUA

O Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgoto) de Porto Alegre afirmou na manhã deste sábado (18) que teve que suspender as operações da estação de tratamento São João, responsável pelo abastecimento de 35 bairros da cidade.

A interrupção foi necessária, diz o órgão, devido a um problema no gradeamento que impede a chegada de lixo na estação em meio às inundações.

O problema afeta cerca de 420 mil moradores da capital gaúcha. No fim da tarde, o Dmae afirmou que mergulhadores realizaram a limpeza e que o fornecimento de água deve ser normalizado neste domingo (19).

Outra estação de tratamento, Moinhos de Vento, teve as operações suspensas, e água tem sido disponibilizada por meio de caminhões-pipa na região. A expectativa é que o serviço seja normalizado também neste domingo.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado