fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Vítimas da Covid-19 têm corpos trocados por hospital no momento do velório

Após serem diagnosticados com a Covid-19 os dois ficaram 21 dias internados e vieram a óbito na quarta-feira (9)

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Duas famílias tiveram os corpos de parentes, vítimas da Covid-19, trocados no momento do velório. O corpo de Márcia Pereira Franco, de 48 anos, foi trocado e enterrado no lugar de Marcelo Aninguaço de Oliveira, de 72. As informações são do G1.

De acordo com a família das vítimas, após serem diagnosticados com a Covid-19 os dois ficaram 21 dias internados e vieram a óbito na quarta-feira (9). Após o falecimento, ambos foram transferidos para o Hospital Beneficência Portuguesa de Santos, no litoral de São Paulo,

No local, eles foram preparados para o sepultamento. Nesse mesmo momento, as famílias se conheceram. Os familiares de Márcia foram orientados a comparecer ao hospital por volta das 13h de quinta-feira (10).

A família de Márcia foi ao local para a realização do cortejo fúnebre, feito de carro, antes do sepultamento, que ocorreria no Cemitério Areia Branca, assim como o do idoso. No entanto, um funcionário da funerária percebeu que o corpo de Márcia havia sido trocado e alertou os familiares.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Posteriormente, a família do idoso também foi avisada, mas o sepultamento já havia sido realizado. No entanto, o corpo enterrado havia sido o de Márcia.

“Eu estava saindo do cemitério quando a moça da administração chamou a gente para falar que havia um problema, e que o pessoal da Beneficência tinha pedido para que eu fosse lá reconhecer o corpo do meu pai. Falei que tinha acabado de enterrá-lo, e foi quando ela falou que tinha ocorrido a troca”, afirmou a filha de Marcelo, Márcia Bastitas de Oliveira, de 35 anos, ao Portal G1.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após reconhecer o corpo, a família de Marcelo teve de realizar dois sepultamentos em poucas horas. Ao final do dia, os corpos foram enterrados de maneira correta.

Em nota, a Beneficência Portuguesa de Santos explicou que houve troca das informações dos caixões e que uma sindicância irá apurar os responsáveis pela troca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nota do hospital:

“A direção do hospital abrirá sindicância para apurar a responsabilidade na troca de informação aos familiares sobre o sepultamento do Sr. Marcelo Aninguaçu de Oliveira [72 anos] e da Sra. Márcia Pereira Franco [48 anos], ambos na tarde desta quinta-feira, no Cemitério de Areia Branca, nesta cidade.

Os corpos em urnas lacradas devido ao falecimento por Covid-19, em suas identificações constando os horários de sepultamento com diferença de 30 minutos, respectivamente, 13h e 13h30.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

A informação sobre as saídas dos caixões foi invertida, e quando o motorista do segundo sepultamento se preparava para sair, a equipe do Serviço de Luto percebeu o engano e de imediato entrou em contato com a direção do cemitério onde já estava a urna com o corpo que deveria ser sepultado às 13h30, e lá também estavam seus familiares.

De imediato, foi providenciada a informação para que os corpos não fossem enterrados com nomes trocados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lamentamos profundamente a dor dos familiares pela perda de seus entes queridos, bem como pelo imenso transtorno causado, pois em meio à pandemia da Covid-19, quando fatores alheios à nossa vontade, independentemente dos cuidados que procuramos ter diante das diferentes situações ocasionadas pelo momento de dor em que vivemos, aflorado pelas incontáveis perdas, somos surpreendidos por essa adversidade. A despeito das providencias que serão tomadas, nosso pedido de desculpas”.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade