fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Professor cuida de jacaré de 1,5 m há cinco anos

“No início, eu colocava o peixe no anzol e ia chamando ele e só em 2018 ele começou a subir na calçada que fica ali na margem”, disse o professor

Avatar

Publicado

em

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal
PUBLICIDADE

O mestre em psicologia Aldecino José fez uma amizade inusitada com um jacaré de 1,5 metro em Rio Branco, no Acre. Ele alimenta o animal há cinco anos, período em que pesca na lagoa do Conjunto Universitário na cidade.

Segundo o professor, a aproximação demorou a acontecer e ele chamou o jacará de Tião. “Desde que foi feito o tratamento aqui o lago está limpo e nós, moradores, colocamos peixe para pescar por lazer. Lembro que o Tião era pequeno e começou a se aproximar. No início, eu colocava o peixe no anzol e ia chamando ele e só em 2018 ele começou a subir na calçada que fica ali na margem”, disse ao G1.

Assim que o professor chega para alimentá-lo, Tião sai da água e fica ao lado dele. Então, recebe comida e até carinho. “Ele deixa eu passar a mão na cabeça dele, pegar”, continuou. “Ele não agride a cachorra e nem ele à ela. Costumo ir até três vezes na semana, depende da minha rotina. Quando tá muito corrido e não dá tempo de pescar, eu vou lá só para alimentá-lo. Levo restos ou miúdos de frango, já que essa espécie se alimenta de aves ou peixe”.

Segundo Aldecino, Tião é o maior jacaré do lago, o que torna fácil de reconhecê-lo. “Quando eu chego e chamo pelo nome, ele reconhece minha voz, só de chegar e chamar ele vem”, contou. “Até eu tenho medo de encostar muito, porque tem instinto, é animal, por mais que seja mais manso comigo, ainda é perigoso. Agora passar a mão, fazer carinho, eu faço”, finalizou

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade