Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Polícia identifica origem da droga que deixou jovens internados após festa rave

Suspeita é de que seja uma mistura que contenha mescalina, que é uma droga altamente alucinógena, extraída de um cacto no México

Publicado

em

Publicidade

Da redação
redacao@grupojbr.com

A polícia identificou o responsável por vender os comprimidos de droga que deixou pelo menos dois jovens internados em estado grave após frequentarem uma festa rave. A festa ocorreu no sábado (12). As investigações apontam para um novo tipo de entorpecente, uma mistura de mescalina com MDMA ou ecstasy. 

A festa começou por volta das 22h de sábado (12) em Guarapari-ES. De acordo com a polícia, foi por volta de 2h da manhã que os participantes começaram a passar mal. O site da festa afirma que a entrada de drogas é proibida. Um dos organizadores da festa foi ouvido pela polícia, mas outros responsáveis ainda serão ouvidos. 

Um dos jovens que utilizou a droga e recebeu alta prestou depoimento à polícia. Ele contou que encomendou três comprimidos pela internet e pegou a droga no evento. Ele contou que tomou apenas um comprimido da droga e desmaiou 20 minutos depois. 

A polícia confirmou que dois rapazes continuam em coma na UTI. O caso mais grave é de um jovem de 24 anos, internado no Hospital Antônio Bezerra Faria, em Vila Velha. A mãe dele contou que ouviu dos médicos que o filho fez uso de uma droga muito forte. 

Todos os jovens que estiveram internados estiveram na mesma festa. A polícia está a procura de outras pessoas que também passaram mal e foram atendidas em hospitais. A polícia investiga qual o tipo de droga ao certo e como a substância chegou até a festa. 

O delegado responsável pelo caso afirma que as investigações continuam para saber qual o tipo de droga foi utilizada. A suspeita é que seja uma mistura entre as substâncias mescalina e MDMA. Ele conta que a mescalina é uma droga altamente alucinógena, extraída de um cacto do méxico e está associada a um estimulante do ecstasy. Logo, a combinação pode ser fatal.


Você pode gostar
Publicidade