fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

PM mata companheiro de farda por mandar mensagens para sua ex-mulher

Ao se apresentar a Polícia Civil, o atirador negou, porém, que o motivo do crime era passional, e que a vítima já tinha lhe ameaçado de morte, levando a ter tal reação e efetuado os disparos

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da Redação
[email protected]

O assassinato do Policial Militar Ambiental (PMA) Jurandir Miranda, de 47 anos, foi concluído pela Polícia civil. Após confessar o crime, o soldado Izaque Leon Neves, 33 anos, alegava que a vítima mandava mensagens para o celular de sua ex-mulher, além dos dois term tido um caso.

Ao se apresentar a Polícia Civil, o atirador negou, porém, que o motivo do crime era passional, e que a vítima já tinha lhe ameaçado de morte, levando a ter tal reação e efetuado os disparos.

A investigação das autoridades, no entanto, rebate a afirmação do réu, já que ele é quem foi ao encontro da vítima em uma lanchonete e Jurandir também não teria feito menção de estar armado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O delegado responsável pelo caso, Jackson Frederico Vale, disse que os envolvidos não se entendiam há cerca de 2 anos. Testemunhas e parentes deles também disseram que “eram notórias as desavenças” e eles inclusive já foram punidos por estes fatos na Justiça Militar. Vale ressaltou ainda que a PM instaurou procedimento e apura os fatos.

Ex-mulher do soldado apontado como autor dos tiros disse que recebeu ameaças horas antes do crime
No inquérito também consta a oitiva com a ex-mulher do soldado, que procurou a Polícia Civil para denunciar ameaças feitas pelo suspeito, no qual ele teria ligado para ela e feito ameaças, pouco tempo antes do crime. Na ocasião, Izaque teria dito que a mataria na frente dos dois filhos que eles possuem em comum, caso ela fosse vista com outro homem.

Entenda o caso

O caso aconteceu em Aquidauana, Mato Grosso do Sul. Conforme as autoridades, Izaque não aceitava o fim do relacionamento com uma jovem de 26 anos, a qual estava namorando Jurandir. Por causa disso, os dois policiais já tinham brigado diversas vezes, feito ameaças entre eles e também sofrido punições da corporação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Consta no boletim de ocorrência que Jurandir passou em uma motocicleta em frente à lanchonete de Izaque, tendo dado retorno e parado em frente ao comércio. O soldado então se levantou da cadeira onde estava sentado, sacou uma pistola e atirou no colega.

A vítima ainda estava na moto quando foi atingido pelos primeiros disparos. Ele então caiu, o soldado continuou atirando e em seguida tentou enforcá-lo.

Um outro policial militar que passava pelo local no momento do crime segurou Izaque, o desarmou, mas ele conseguiu se soltar e fugiu. Jurandir foi socorrido para o hospital da cidade, mas não resistiu.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade