fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Paciente oncológico e vítima de Covid-19 têm corpos trocados por hospital

Idosos morreram na madrugada da última segunda-feira (4) e estavam internados no hospital São Vicente de Paula, no Rio de Janeiro

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Waldyr Rosa da Silva, de 81 anos, vítima de um câncer, e Haicton Paula Ferreira, 66, que veio a óbito em decorrência da Covid-19, tiveram os corpos trocados devido a um erro do hospital em que estavam internados. Agora, as famílias de ambos lutam por Justiça, para que seus familiares possam ser sepultados de forma correta.

Os idosos morreram na madrugada da última segunda-feira (4). Eles estavam internados no hospital São Vicente de Paula, no Rio de Janeiro, e tiveram os corpos trocados por erro da instituição de saúde.

Por ter sido vítima do coronavírus, Haicton seria sepultado em um caixão lacrado. No entanto, no lugar do parente, a família acabou enterrando Waldyr, por engano.

Enquanto isso, o corpo de Haicton estava no hospital. Em entrevista ao jornal O Globo, publicada nesta quinta-feira (7/1), a família de Haictor contou que foi notificada do erro apenas quando Eduardo Castro, filho de Waldyr, foi até a instituição para reconhecer o corpo do pai e percebeu que era outra pessoa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eduardo contou ao veículo que recorreu ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e solicitou uma autorização para exumar o corpo do pai, a fim de fazer o sepultamento de forma correta.

A família de Haicton também recorreu à Justiça para enterrar o corpo, mas o pedido não foi aceito. As autoridades alegam que a vítima da Covid-19 já foi oficialmente sepultada e não haveria provas do erro hospitalar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O caso foi registrado na 6ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro, como subtração de cadáver. O Hospital São Vicente de Paula informou, em nota, que vai apurar o equívoco.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade