fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Mulher estuprada pelo ex foi obrigada a gravar vídeo das agressões; material foi apreendido pela Polícia Civil

Vítima era coagida a falar mal de si mesma e do motivo de estar sendo violentada

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

A Polícia Civil apreendeu imagens de um crime bárbaro. De acordo com as investigações, um homem, de 39 anos, obrigou a ex-companheira, de 23 anos, a filmar o próprio estupro. A jovem era mantida em cárcere privado e era constantemente violentada pelo suspeito. O filho da vítima, de 5 anos, presenciava tudo e também era mantido preso na residência.

As imagens serão anexadas ao inquérito que investiga o caso. O crime ocorreu em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Ainda segundo a Polícia civil, o ex-companheiro gravava todos os estupros que cometia contra a mulher. O acusado está preso.

O Portal G1 apurou o caso. De acordo com o veículo, os vídeos eram feitos através do celular da vítima, já que o suspeito não tinha um aparelho telefônico. Além disso, em um dos vídeos a mulher é obrigada a justificar os abusos. De acordo com a Polícia Civil, a vítima era coagida a falar mal de si mesma e do motivo de estar sendo violentada. No registra ela ainda é agredida verbalmente pelo acusado.

Os investigadores acreditam que o homem é integrante de alguma facção criminosa. Ao final das agressões, ele aparece ameaçando divulgar o vídeo para conhecidos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A vítima é moradora de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e viajou para o litoral no dia 9 de outubro, a convite de uma amiga, para passar o fim de semana em Mongaguá.

No entanto, a jovem foi surpreendida pelo ex-companheiro quando chegou na cidade. Na sequência, o homem a sequestrou junto com o filho. As vítima foram mantidas trancados, e a mulher foi obrigada a manter relações sexuais com o ex-namorado.

Após conseguir escapar, a mulher acionou a polícia e o homem foi detido, na sexta-feira (14). Após a prisão, a polícia emitiu um pedido de medida protetiva para a vítima e solicitou assistência social psicológica para ela e o filho.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade