fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Ladrão de calcinhas diz que já foi ao psicólogo, mas não consegue parar de furtar

Homem foi preso com 1.045 peças íntimas

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da redação
[email protected]

O ladrão de calcinhas preso, com 1.045 peças furtadas, disse em depoimento que não consegue se controlar e até já procurou ajuda com psicólogo. De acordo com a polícia, esta foi a segunda detenção do homem pelo mesmo crime. 

Ainda de acordo com a polícia, no momento da prisão, o homem estava usando uma das peças furtadas. Os policiais foram na casa dele para cumprir um mandado de prisão por furto e apreenderam 1.000 calcinhas e 45 sutiãs. 

A delegada responsável pelo caso, afirma que este mandado era por crimes antigos de furto de calcinhas. As peças que foram encontradas na casa são de crimes recentes, e as vítimas não registraram ocorrência. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma vizinha dele, que preferiu não se identificar, diz que foi obrigada a se mudar, pois não aguentava mais os furtos. A mulher relata que o homem levou cerca de 30 calcinhas e cinco sutiãs novos, mas ela não registrou ocorrência, pois de acordo com ela, ela sabe que ele não fica preso. 

O caso 

Um ladrão de calcinhas foi preso com 1.045 peças íntimas escondidas no quarto de casa. O homem roubava as peças de cercas, varais e lojas da vizinhança. Durante a abordagem, os policiais foram surpreendidos ao perceberem que o homem, de 41 anos, estava usando uma das calcinhas. 

Com base no número de peças apreendidas, é possível dizer que muitas das 8.800 mulheres que fazem parte da população de Turmalina-MG, onde ocorreu o caso, já foram vítimas dele, que foi preso pela segunda vez pelo mesmo crime.

De acordo com a polícia, as mil calcinhas e os 45 sutiãs foram encontrados em vários locais do quarto do suspeito. Debaixo da cama, dentro do colchão e no guarda-roupas. Em 2015, os furtos de 301 peças íntimas ocorreu em uma cidade vizinha, Capelinha-MG. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A polícia recebeu diversas reclamações de mulheres relatando furtos de calcinhas. Porém, muitas vítimas não registraram boletim de ocorrência por medo, receio ou vergonha. 

Ao ser questionado, o homem não deu detalhes sobre os furtos, apenas disse que cometia o crime em vários locais. Ele foi encaminhado para delegacia.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade