Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Na Hora H!

Justiça mantém prisão de sobrinho que matou e arrancou coração da tia

“O crime por sua barbaridade chocou não só a sociedade Sorrisense mais todo o país”, pontuou o juiz

Foto: Portal Sorriso

Na segunda-feira (26), o juiz Anderson Candiotto, da Segunda Vara Criminal de Sorriso (MT), negou o o pedido de relaxamento de prisão do sobrinho que matou e arrancou o coração da tia em julho de 2019.

A vítima, Maria Zélia da Silva, de 55 anos, foi morta com golpes de faca dentro da própria casa. O autor do crime, o sobrinho Lumar Costa da Silva, de 30 anos, arrancou o coração da tia e o entregou para uma filha dela.

“O crime por sua barbaridade chocou não só a sociedade Sorrisense mais todo o país”, pontuou o juiz.

Em 2020, o advogado de Lumar entregou um laudo à Justiça. O documento revelou que ele tem transtorno afetivo bipolar e não possui condições de viver em sociedade.

Para o juiz Anderson Candiotto, ‘não há como deixar de considerar a periculosidade do acusado apenas por ele “supostamente” sofrer de distúrbios mentais, pelo contrário, uma pessoa com perturbação psicológica, e que tenha condutas violentas, pode facilmente, vir a agredir e/ou matar outrem se não for devidamente tratado”.

Lumar é usuário de drogas e começou a se drogar na casa da vítima, que é super religiosa. De acordo com ele, vozes de sua cabeça o mandaram cometer o crime. Na época, ele confessou o crime e disse não estar arrependido.

Em uma penitenciária, Lumar foi flagrado por um agente tentando enforcar outro preso dentro de uma viatura durante uma transferência de unidade prisional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 






Você pode gostar