Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Na Hora H!

Jovem que começa a sangrar ‘do nada’ é internada em SP após começar a desmaiar

A adolescente com sangramentos no nariz, boca e ouvidos foi novamente internada na Santa Casa de Santos, no litoral de São Paulo

Foto: Arquivo pessoal

A adolescente com sangramentos no nariz, boca e ouvidos foi novamente internada na Santa Casa de Santos, no litoral de São Paulo. A família alegou, nesta terça-feira, 28, que além dos problemas, que começaram em 2019 e ainda não foram diagnosticados, a jovem de 17 anos começou a desmaiar frequentemente após a última alta hospitalar.

A atual internação foi iniciada na madrugada do último domingo, 26, por volta das 3h. Trata-se da terceira passagem da paciente na unidade de saúde apenas neste ano. A primeira aconteceu entre 20 de maio e 3 de abril, e a segunda entre 8 e 15 deste mês.

A mulher acrescenta que a filha teve sangramentos durante todos os dias longe do hospital. No local, ainda segundo ela, a situação não é diferente.

Drama familiar

A situação da jovem também gera complicações para a vida profissional da mãe e do irmão. “A gente está ‘sem cabeça’, porque ficamos sem trabalhar. Ficamos sem poder ganhar nosso dinheiro para pagar as contas, e isso é o que mais me preocupa”.

Maria Ocilene ressalta a busca desesperada por um diagnóstico. “Se descobríssemos, poderíamos começar um tratamento. Se ao menos a gente soubesse o que ela tem, poderíamos ter um pouco de paz”.

O que diz a Santa Casa

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A unidade de saúde informa, por meio de nota, que nos exames iniciais, incluindo avaliação da especialidade de otorrinolaringologia, não foram evidenciados sangramentos efetivos que sejam, de fato, provenientes dos ouvidos, nariz e garganta.

“Será realizada uma broncoscopia para avaliar internamente a parte respiratória. A paciente não apresenta queda de glóbulos vermelhos por perda sanguínea. O caso segue em investigação, com envolvimento e assistência de equipe multiprofissional”, complementa a Santa Casa.

“Nenhum profissional presenciou o sangramento no momento que aconteceu, entretanto, tão logo foi sinalizada, a equipe prestou toda a assistência, como também orientou a família sobre os exames complementares para investigação do caso”.

Relembre o caso

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A família alega que a jovem sofre com os sangramentos no nariz, boca e ouvidos desde abril de 2019. Segundo a mãe, dores no peito ou na cabeça antecedem os episódios. Maria Ocilene ressalta ainda que as ocorrências não respeitam uma lógica, uma vez que intervalos de até três meses foram identificados pelos familiares entre um caso e outro.

Ainda de acordo com a mãe da adolescente, a família se mobilizou desde os primeiros sangramentos, contudo, mesmo após diversas visitas a outras unidades de saúde, nenhum diagnóstico foi dado.








Você pode gostar