fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Jovem diagnosticada com tumor implora por vaga em hospital

Jovem pede por ajuda e afirma que não aguenta mais sofrer com as fortes dores

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

A dona de casa Karen Samella Sabino da Silva, de 29 anos, implora por uma vaga em um hospital para tratar de um tumor há mais de um mês. A irmã dela, a advogada Ana Paula Sabino Miranda, de 31 anos, que também representa Karen judicialmente, falou sobre o caso.

Ana Paula relata que só depois de muitas idas e vindas ao hospital, devido a fortes dores, que a irmã foi internada e transferida ao Hospital dos Estivadores, em Santos. Karen é de Itanhaém, litoral paulista.

Ainda de acordo com Ana Paula, ao chegar no hospital, foi constatado que Karen estava com problema nos rins e precisou passar por sessões de hemodiálise. Além disso, a jovem também foi diagnosticada com um tumor que atinge a coluna e a região pélvica.

Um exame mais preciso foi requerido no dia 8 de outubro e, desde então, a família aguarda pelo resultado da biópsia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Mas o hospital não tem recurso para tratamento do tumor. Ela precisa de tratamento especializado. A questão é que o hospital só fez o tratamento renal, que era para o que tinham estrutura. E orientaram que ela teve alta do tratamento nos rins, mas precisava voltar para Itanhaém e em uma unidade de saúde de lá ser cadastrada na Cross. Mas ela não tem condições de sair do hospital, mal consegue levantar. Está em um estágio grave, não tem como trazê-la para casa”, relatou Ana Paula ao Portal G1.

Ana Paula afirma que a família passou a recorrer a todos os recursos para que a irmã fosse incluída na central de regulação de oferta de serviços de saúde (Cross).

Karen postou um vídeo nas redes sociais em que aparece pedindo pela vaga. A publicação foi compartilhada por diversas pessoas. A jovem pede por ajuda e afirma que não aguenta mais sofrer com as fortes dores.

Após a família entrar na Justiça, foi concedido pedido de tutela de urgência nesta quarta-feira (11), determinando que o Estado de São Paulo e o município de Itanhaém providenciem, em 24h, a transferência e internação dela em uma leito do Hospital Guilherme Álvaro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em nota, a Prefeitura de Itanhaém informa que acompanha de perto o caso. A transferência para um dos hospitais de referência pelo sistema Cross, que no caso foi para o Hospital dos Estivadores, foi solicitada pela equipe médica da Administração Municipal, onde ela permanece.

De acordo com a Secretaria de Saúde de São Paulo, o caso da Karen está em regulação com apoio da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), sistema online que funciona 24 horas por dia e que verifica vagas disponíveis em hospitais do SUS em SP.

“Importante destacar que a Cross não é responsável por “liberar” a vaga, mas sim uma mediadora de pedidos dos serviços de origem. As transferências ocorrem desde que os pacientes tenham condições de transferência, como estabilidade clínica e ausência de infecções”, diz a pasta.

Karen antes de descobrir doença junto com a filha — Foto: Arquivo pessoal




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade