Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Grave acidente mata criança de um ano de idade

De acordo com as autoridades, o motorista tentou fazer uma ultrapassagem forçada quando surgiu um outro veículo no sentido contrário. Para não bater de frente ele tentou voltar, mas acabou sendo atingido por um caminhão que seguia no mesmo sentido

Publicado

em

Publicidade

Um acidente que ocorreu durante uma ultrapassagem em local proibido na BR-316, na zona rural de Bom Jardim, a 275 km de São Luís, causou a morte do bebê Carlos Eduardo Silva Sousa, de apenas um ano, na madrugada desta sexta-feira (18).

O veículo contava com cinco passageiros, quatro adultos e o bebê. A avó da criança, Adriana Nascimento da Silva, continua internada em estado grave no Hospital Macroregional de Santa Inês. As outras vítimas tiveram escoriações leves, por isso foram medicadas e liberadas.

Aldair Chaves Silva, que dirigia o automóvel, permanece detido na Delegacia Regional. O veículo não tem placa vermelha, portanto não possui autorização para ser usado como táxi. Ainda no local do acidente, o motorista admitiu que não é taxista profissional.

O acidente ocorreu próximo à ponte sobre o Rio Pindaré, no território dos índios Guajajaras. O carro seguia de Santa Inês para Governador Newton Bello. De acordo com a PRF, o motorista do táxi tentou fazer uma ultrapassagem forçada quando surgiu um outro veículo no sentido contrário.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do táxi tentou fazer uma ultrapassagem forçada quando surgiu um outro veículo no sentido contrário. Para não bater de frente ele tentou voltar para o outro lado da pista e acabou sendo atingido por um caminhão que seguia no mesmo sentido.

O motorista do táxi não conseguiu manter o controle do veículo que saiu da pista. As vítimas foram retiradas do veículo pelos índios que prestaram os primeiros socorros até a chegada do Corpo de Bombeiros.

A PRF está apurando as informações para saber se as documentações do carro estavam regularizadas, se o motorista estava com a documentação regular, se os passageiros estavam usando o cinto de segurança. Todas essas informações serão passadas para a Polícia Civil que vai dar continuidade no inquérito.

 

Você pode gostar
Publicidade