fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Considerado morto, idoso luta na Justiça para casar novamente

A descoberta aconteceu após ele buscar a Defensoria Pública para regularizar a situação matrimonial com a ex e conseguir se casar com a atual mulher

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação/Defensoria Pública
PUBLICIDADE

O cearense João Barbosa, 72 anos, descobriu que foi declarado morto pela ex-esposa em 1985, mesmo estando vivo e bem de saúde. A descoberta aconteceu após ele buscar a Defensoria Pública para regularizar a situação matrimonial com a antiga esposa e conseguir se casar com a atual mulher. 

“Me mataram eu não sei nem o porquê, eu queria que cancelassem. Todo mundo está vendo que estou vivo, quero resolver meus problemas. Estando morto, como eu vou resolver?”, declarou João ao G1. 

João deixou o Ceará com a esposa e os filhos na década de 80 em busca de oportunidades de emprego mas, após seis meses, se desentendeu com a mulher e voltou para sua terra natal sem assinar os papeis do divórcio. 

“Minha vida lá no Maranhão não deu certo, não consegui emprego, não me adaptei. Depois de desavenças com a mulher, fiquei desgostoso da vida e resolvi voltar pra cá, mas eu nunca poderia imaginar que a pessoa ia inventar uma história dessas. Eu levei um choque quando soube disso”, contou. 

Com o objetivo de desfazer oficialmente o antigo casamento e formalizar a união estável com a atual esposa, em 2019 ele procurou a Defensoria Pública. No cartório, descobriu que a esposa o declarou morto em 1º de janeiro de 1985. Hoje, o processo para reconhecer que ele está vivo já tramita na Justiça. Não se sabe o paradeiro da mulher. 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade