Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Na Hora H!

Bebê tem 16 costelas e fêmur quebrados; pais foram indiciados

Autoridades passaram a monitorar a situação da criança após ela sofrer uma fratura no fêmur e ser levada ao hospital

Uma bebê de quatro meses foi resgatada após apresentar diversas lesões graves. Segundo as autoridades médicas, a criança teve dezesseis costelas e o fêmur quebrados. Os pais dela, um homem de 21 anos e a mãe de 22 anos, são investigados como principais suspeitos de terem cometido as agressões. O caso foi apresentado nesta quinta-feira (13) à Polícia Civil e ocorreu em Jaboticatubas, na região metropolitana de Belo Horizonte-MG.

As autoridades passaram a monitorar a situação da criança após ela sofrer uma fratura no fêmur e ser levada ao hospital. Na época, a criança permaneceu um tempo internada para tratar a fratura. Posteriormente, o Conselho Tutelar foi acionado e começou a acompanhar a família, mesmo após a alta hospitalar da menina.

Sem anunciar para os pais, os conselheiros tutelares visitaram a casa da família e encontraram a criança com febre alta e chorando muito. Na ocasião, a menina precisou ser encaminhada novamente ao hospital.

Ela foi encaminhada à Fundação Hospitalar de Jaboticatubas, mas precisou ser transferida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, onde ficou um mês internada.

Após esse episódio, a Polícia Civil iniciou as investigações, em março deste ano. Ao final das diligências, a corporação concluiu que a menina estava sendo torturada pelos pais. O hospital foi oficializado para passar o prontuário médico à Polícia Civil, que constatou uma fratura do fêmur, 10 costelas fraturadas no lado esquerdo e seis costelas fraturadas no lado direito da criança.

Os pais alegaram que a criança havia sofrido uma queda durante o banho, no entanto, a versão foi descartada pelos investigadores. Segundo a perícia, as lesões da menina foram causadas por meio de “um trauma de alto impacto”.

Os pais ainda não estão presos. A Polícia Civil indiciou o pai da criança, que é pedreiro, por tortura, com qualificadora por ter gerado lesão corporal de natureza grave com risco de vida. A pena ainda pode ser aumentada, visto que a vítima é uma criança. A mãe, que é dona de casa, foi indiciada por tortura e por omissão. O casal indiciado não tinha passagens pela polícia, mas o homem é usuário de drogas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar