fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Após enterro, família é informada por hospital que parente vítima de Covid-19 estaria viva

Depois da internação, a família não teve contato com a idosa, mas os funcionários da unidade ligavam todos os dias para informar sobre o estado da paciente

Avatar

Publicado

em

Foto: Arquivo pessoal
PUBLICIDADE

Após ter sido comunicada a respeito do óbito de Raimunda Rodrigues Sertão, de 84 anos, uma família de Tocantins realizou o enterro do corpo que supostamente seria da idosa. Entretanto, no dia seguinte, o hospital onde Raimunda estava internada ligou para informar que a paciente estaria viva e estável.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, a família de Raimunda foi vítima de um equívoco por parte da equipe médica do Hospital Regional de Araguaína. De acordo com Luan Sousa, de 29 anos, neto de Raimunda, a idosa precisou ir até a UPA de Araguaína após ter passado mal. Ela teve o estado clínico agravado e foi transferida para o Hospital Regional, no último domingo (26).

Depois da internação, a família não teve contato com a idosa, mas os funcionários da unidade ligavam todos os dias para informar sobre o estado da paciente.

Na quinta-feira, por volta das 7h da noite, a família teria sido informada que Raimunda havia falecido. Ninguém foi até o local para reconhecer o corpo e na funerária também não foi possível fazer a verificação. Além disso, de acordo com a família, nenhum boletim de óbito foi assinado. Ainda assim, a família pagou cerca de R$ 5 mil pelo enterro, que foi realizado na madrugada de sexta-feira (31).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um dia após o enterro, uma funcionária do hospital ligou para informar que Raimunda estava viva e, apesar de apresentar estado clínico grave, estaria estável.

Luan relatou que a família foi até o hospital para verificar a situação. No local, uma assistente social mostrou uma foto que seria da dona Raimunda Rodrigues após a morte. No entato, a família não tem certeza da data em que a foto foi tirada e segue na dúvida sobre a identidade do corpo que foi enterrado.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou por meio de uma nota que lamente o ocorrido e assume que houve um equívoco da equipe médica.

“Situações como essa são inadmissíveis e toda a equipe foi advertida”, diz a nota.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade