fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Trump reitera que nenhum americano se feriu no ataque promovido pelo Irã

Presidente afirmou novamente que “nenhuma vida americana foi perdida” e comemorou a morte de Qasem Soleimani. “Ele deveria ter sido executado há muito tempo”

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Alex Wong/Getty Images/AFP
PUBLICIDADE

Em pronunciamento nesta quarta-feira (8), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reiterou a informação de que nenhum cidadão americano no ataque promovido pelo Irã às bases estadunidenses localizadas no país do Oriente Médio.

“Nenhuma vida americana ou iraquiana foi perdida”, declarou Trump.

Em seguida, o presidente comemorou ao lembrar a morte do general do Irã, Qasem Soleimani. “Nas ultimas semanas, nós agimos para interromper um terrorista que ameaçava vidas americanos. Eliminamos o maior terrorista do mundo. Soleimani era responsável por algumas das maiores atrocidades mundiais.”

“Ele deveria ter sido executado há muito tempo. E, ao remover Soleimani, damos um recado aos terroristas do mundo todo. Não vamos ameaçar as vidas do nosso povo.”

Ataque

Ao menos duas bases com soldados americanos no Iraque foram atacadas com mísseis balísticos disparados do Irã, segundo informou o Pentágono. Fontes do governo americano informaram que os ataques ocorreram a múltiplas localidades. Não há informação sobre vítimas americanas. Segundo o Pentágono, o Irã disparou mais de uma dezena de mísseis.

Horas após o ataque, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamed Javad Zarif, foi ao Twitter para afirmar que tratou-se de uma medida de legítima defesa do país. Desde a operação americana em Bagdá no dia 2 que levou à morte do general iraniano Qassin Suleiman, o Irã vinha prometendo que revidaria.

“O Irã adotou e concluiu medidas proporcionais de legítima defesa, de acordo com o Artigo 51 da Carta das Nações Unidas, a partir da qual foram lançados ataques armados covardes contra nossos cidadãos e altos funcionários”, justificou ele, concluindo que o país não busca uma escalada do conflito ou guerra. “Mas nós vamos nos defender contra qualquer agressão.”

Mais cedo, em seu canal no Telegram, a Guarda Revolucionária iraniana ameaçou atacar dentro dos EUA e as cidades de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e Haifa, em Israel, se Irã for bombardeado pelos EUA. “Dessa vez nós responderemos a você (governo americano) nos EUA.”

Com agências


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade