Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Papagaio pode ser testemunha em caso de assassinato nos Estados Unidos

Publicado

em

“Não atire!” Essas são as palavras que o papagaio africano Bud vem repetindo desde maio de 2015. Na época, Glenna Duram assassinou seu marido Martin na frente da ave, nos Estados Unidos. O caso agora pode dar uma reviravolta já que Bud pode se tornar uma testemunha chave para a resolução do crime.

Após o assassinato, a ex-esposa de Martin, Christina Keller, levou o papagaio para morar em sua casa. À emissora WOOD-TV, ela afirmou que a ave imita a voz do antigo dono e repete o que seriam suas últimas palavras: “não atire”.  Para provar a argumentação, Christina disponibilizou um vídeo para as autoridades.

Agora, os promotores de Justiça estudam a possibilidade de utilizar as declarações no julgamento. Especialistas em animais afirmam que existe a possibilidade de Bud se lembrar do assassinato.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade 
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

    Charge do dia
Publicidade