Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mais Esportes

Principais dúvidas do Flamengo no começo do trabalho de Paulo Sousa

Depois de um 2019 mágico e um 2020 que não foi tão incrível, mas terminou com o Campeonato Brasileiro conquistado com Rogério Ceni, o Flamengo teve um 2021 para se esquecer. A derrota na final da Libertadores, a humilhante eliminação na Copa do Brasil e a distância de 13 pontos para o Atlético-MG no Brasileirão foram um duro baque para o clube.

Porém, quem entrar nos principais sites do Brasil para fazer apostas para 2022 verá o Flamengo como favorito em todas as competições que entrar. As casas de apostas contam com algoritmos e dados para fazer previsões e criar as odds de cada probabilidade. Mas claro que futebol não é uma ciência exata.

O poderio financeiro, o elenco qualificado e essa motivação extra para apagar um ano ruim são todas boas justificativas para o Flamengo ser o favorito. Mas os apostadores podem pensar diferente ou pensar em outros times.

Palmeiras e Atlético-MG serão novamente os grandes rivais e que também terão odds de favorito na grande maioria dos jogos que disputarem.

Mas esse status não quer dizer que Paulo Sousa chega para só distribuir coletes e levantar taças. Há algumas dúvidas pairando sobre o elenco rubro-negro.

A zaga será reforçada?

A dupla Rodrigo Caio e David Luiz é de respeito, mas problemas físicos do primeiro resultaram em um ano bastante apagado. Já o segundo chegou no meio para o fim da temporada e também perdeu jogos por lesão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O torcedor do Flamengo sabe muito bem que a reposição não está à altura. Gustavo Henrique e Leo Pereira chegaram juntos em 2020 e não convenceram, com pequenos períodos de segurança antes de novas falhas. Paulo Sousa teria pedido um reforço para a posição.

Os veteranos terão espaço?

A queda de desempenho de alguns jogadores foi sentida em 2021. Os veteranos Filipe Luís e Diego Ribas não conseguiram ter a consistência de outras temporadas, mas a reposição ainda não é garantida. Ou seja, eles irão ter tempo em campo novamente. Ambos completam 37 anos em 2022. 

Pedro e Gabigol podem jogar juntos?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Essa pergunta segue gerando respostas que não são definitivas. Os dois foram um grande investimento do clube, mas sua química no ataque precisa ser trabalhada. O curioso sobre o assunto é que Gabriel Barbosa em seus tempos de Santos teve sua melhor fase jogando ao lado de Ricardo Oliveira, centroavante mais tradicional. Ao mesmo tempo, no Flamengo, ele dominou a área e mesmo que algumas vezes inverta com Bruno Henrique, que também tem boa presença, especialmente no jogo aéreo, não há dúvidas sobre quem é o 9.

Paulo Sousa pode jogar com dois atacantes mais fixos e já declarou em entrevista à RTP que dará mais espaço para o jogador que veio da Fiorentina. Ou seja, com certeza o esquema com dois atacantes será treinado na pré-temporada. Se dará certo só saberemos nos grandes campeonatos.

Esquema com três na linha de defesa?

A chegada de um treinador estrangeiro também abre as portas para conceitos mais modernos. A saída de bola com três jogadores é um deles, mas se o torcedor está preocupado que um dos zagueiros do banco será titular, calma. Esse “terceiro” pode ser um lateral mais preso, como Filipe Luis ou Isla, ou até um volante bastante recuado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Revezamento nos jogos?

Outra característica moderna dos melhores treinadores do mundo é o revezamento de jogadores de acordo com o adversário (algo que Abel Ferreira faz bastante no Palmeiras), momento técnico e parte física. Jorge Jesus é uma exceção a essa regra, tendo no Flamengo jogado com 11 titulares bem definidos e que ganharam entrosamento rapidamente. O que Paulo Sousa fará?

O time se adaptará a Paulo Sousa? 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A conexão com Jorge Jesus foi imediata e por isso a torcida estava empolgada com a possível volta do Mister, que saiu do Benfica justamente nesse período de definição de um novo treinador e com parte da diretoria em Lisboa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jesus não veio e Paulo Sousa terá que lidar com sua sombra. E ela é grande: mesmo com o título brasileiro, Rogério Ceni não escapou das comparações. Domenec Torrent não conseguiu completar nem 4 meses no cargo e Renato Gaúcho teve que ouvir os gritos de Mister, Mister, na arquibancada do Maracanã com seu time perdendo de 3 a 0 para o Athletico.

Mais do que um estrategista, Sousa terá que dominar no peito essa pressão e lidar com um elenco de campeões, que foi acusado de estar acomodado. Ele fará uma renovação de nomes? Seus conceitos serão entendidos? É preciso ter o respaldo da diretoria para qualquer movimentação.








Você pode gostar