Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mais Esportes

Massa espera Williams mais competitiva no Canadá do que em Mônaco

Por Arquivo Geral 02/06/2014 1h50

Divulgação/Williams F1 TeamO brasileiro Felipe Massa vai ao Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 esperançoso de que o carro da Williams seja mais competitivo do que no GP de Mônaco, etapa anterior do campeonato. O circuito de Montreal, onde a prova será disputada no próximo domingo, tem longas retas, o que pode favorecer o time.

Em Mônaco, os pilotos da Williams tiveram problemas para acompanhar o ritmo dos ponteiros e Massa precisou adotar estratégia diferente da dos demais para acabar a prova dentro da zona de pontuação. O brasileiro foi o sétimo colocado da prova e seu companheiro de time, o finlandês Valtteri Bottas, abandonou.

“Miramos ser mais competitivos no Canadá e espero que possamos ter uma boa performance. A velocidade final do nosso carro é boa e essa será nossa principal força”, disse Massa, que ocupa a 11ª colocação do Mundial de Fórmula 1 com 18 pontos ganhos. Bottas é o sétimo com 34.

Apesar da confiança de Massa para a prova, ele não tem bom histórico de resultados no GP do Canadá de Fórmula 1, evento em que nunca subiu ao pódio. Seu melhor resultado na corrida foi o surpreendente quarto lugar em 2005, quando ainda pilotava pela Sauber. No ano passado, com a Ferrari, ele foi o oitavo.

“Montreal recebeu grandes corridas no passado e isso tem muito a ver com o clima, então precisamos estar preparados porque pode chover e geralmente sem aviso. A cidade é um lugar muito relaxante para ficar então é bom voltar lá todo ano”, avaliou o brasileiro.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar



Futebol

Massa espera Williams mais competitiva no Canadá do que em Mônaco

O brasileiro Felipe Massa vai ao Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 esperançoso de que o carro da Williams seja mais competitivo do que no GP de Mônaco, etapa anterior do campeonato. O circuito de Montreal, onde a prova será disputada no próximo domingo, tem longas retas, o que pode favorecer o time.

Em Mônaco, os pilotos da Williams tiveram problemas para acompanhar o ritmo dos ponteiros e Massa precisou adotar estratégia diferente da dos demais para acabar a prova dentro da zona de pontuação. O brasileiro foi o sétimo colocado da prova e seu companheiro de time, o finlandês Valtteri Bottas, abandonou.

“Miramos ser mais competitivos no Canadá e espero que possamos ter uma boa performance. A velocidade final do nosso carro é boa e essa será nossa principal força”, disse Massa, que ocupa a 11ª colocação do Mundial de Fórmula 1 com 18 pontos ganhos. Bottas é o sétimo com 34.

Apesar da confiança de Massa para a prova, ele não tem bom histórico de resultados no GP do Canadá de Fórmula 1, evento em que nunca subiu ao pódio. Seu melhor resultado na corrida foi o surpreendente quarto lugar em 2005, quando ainda pilotava pela Sauber. No ano passado, com a Ferrari, ele foi o oitavo.

“Montreal recebeu grandes corridas no passado e isso tem muito a ver com o clima, então precisamos estar preparados porque pode chover e geralmente sem aviso. A cidade é um lugar muito relaxante para ficar então é bom voltar lá todo ano”, avaliou o brasileiro.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar



Mais Esportes

Massa espera Williams mais competitiva no Canadá do que em Mônaco

O brasileiro Felipe Massa vai ao Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 esperançoso de que o carro da Williams seja mais competitivo do que no GP de Mônaco, etapa anterior do campeonato. O circuito de Montreal, onde a prova será disputada no próximo domingo, tem longas retas, o que pode favorecer o time.

Em Mônaco, os pilotos da Williams tiveram problemas para acompanhar o ritmo dos ponteiros e Massa precisou adotar estratégia diferente da dos demais para acabar a prova dentro da zona de pontuação. O brasileiro foi o sétimo colocado da prova e seu companheiro de time, o finlandês Valtteri Bottas, abandonou.

“Miramos ser mais competitivos no Canadá e espero que possamos ter uma boa performance. A velocidade final do nosso carro é boa e essa será nossa principal força”, disse Massa, que ocupa a 11ª colocação do Mundial de Fórmula 1 com 18 pontos ganhos. Bottas é o sétimo com 34.

Apesar da confiança de Massa para a prova, ele não tem bom histórico de resultados no GP do Canadá de Fórmula 1, evento em que nunca subiu ao pódio. Seu melhor resultado na corrida foi o surpreendente quarto lugar em 2005, quando ainda pilotava pela Sauber. No ano passado, com a Ferrari, ele foi o oitavo.

“Montreal recebeu grandes corridas no passado e isso tem muito a ver com o clima, então precisamos estar preparados porque pode chover e geralmente sem aviso. A cidade é um lugar muito relaxante para ficar então é bom voltar lá todo ano”, avaliou o brasileiro.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar



Mais Esportes

Massa espera Williams mais competitiva no Canadá do que em Mônaco

O brasileiro Felipe Massa vai ao Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 esperançoso de que o carro da Williams seja mais competitivo do que no GP de Mônaco, etapa anterior do campeonato. O circuito de Montreal, onde a prova será disputada no próximo domingo, tem longas retas, o que pode favorecer o time.

Em Mônaco, os pilotos da Williams tiveram problemas para acompanhar o ritmo dos ponteiros e Massa precisou adotar estratégia diferente da dos demais para acabar a prova dentro da zona de pontuação. O brasileiro foi o sétimo colocado da prova e seu companheiro de time, o finlandês Valtteri Bottas, abandonou.

“Miramos ser mais competitivos no Canadá e espero que possamos ter uma boa performance. A velocidade final do nosso carro é boa e essa será nossa principal força”, disse Massa, que ocupa a 11ª colocação do Mundial de Fórmula 1 com 18 pontos ganhos. Bottas é o sétimo com 34.

Apesar da confiança de Massa para a prova, ele não tem bom histórico de resultados no GP do Canadá de Fórmula 1, evento em que nunca subiu ao pódio. Seu melhor resultado na corrida foi o surpreendente quarto lugar em 2005, quando ainda pilotava pela Sauber. No ano passado, com a Ferrari, ele foi o oitavo.

“Montreal recebeu grandes corridas no passado e isso tem muito a ver com o clima, então precisamos estar preparados porque pode chover e geralmente sem aviso. A cidade é um lugar muito relaxante para ficar então é bom voltar lá todo ano”, avaliou o brasileiro.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar