Siga o Jornal de Brasília

Gus Oliveira

MiBR x G2 – A volta do incrível lado CT da equipe brasileira.

O jogo contra a TyLoo assustou. Assustou porque era uma vitória improvável, principalmente depois do sonoro 11-4 feito pela MiBR na primeira metade.

O fato da MiBR ter mostrado um lado TR tão fraco contra o time da TyLoo fez eles apelarem para a Dust 2 contra a Mousesports. Dust 2 que tem sido o melhor mapa da MiBR desde a “nova era”, com os americanos e, agora, com o sérvio.

E então, veio uma vitória até tranquila. O susto do primeiro dia com a virada da TyLoo se esvaiu e agora veio a esperança da nova MiBR, aquela que vimos no último mês. Um 16-6 sem muitas dificuldades.

E então, veio a G2. Pior que vir a G2, veio a Inferno: o mapa que eles tomaram a virada para o time chinês e, ao mesmo tempo, o mapa que eles tiveram tantas dificuldades e insistiram tanto nesse tempo de transição de line-ups. No major, com o placar em 1-1 para ambos os times (quem vence 3, passa, quem perde 3, está eliminado). A tensão tomando conta de todos os lados. Porém, a MiBR cada mapa que passa mostra que está voltando a ser aquele time que venceu tudo.

Isso por 2 motivos:

  • A tensão e a pressão parecem não mais incomodar. Característica fria que fez a antiga LG e SK serem conhecidas pelas suas viradas em mapas perdidos.
  • O lado CT, que exige tanta disciplina, entrosamento e comunicação, voltou a ser um ponto fortíssimo para a equipe da MiBR. Esse lado CT extremamente forte que fez com que, por exemplo, a antiga SK tivesse o recorde de 17 vitórias seguidas na Train.

 

Quando começou o jogo, já percebi que a MiBR iria começar do lado CT. O que me preocupou contra a TyLoo foi o lado TR, inclusive o o CT da MiBR na Inferno tinha me impressionado. Fiquei mais tranquilo. Porém, brinquei com meus amigos: a tranquilidade só viria de fato se a MiBR fizer 14-1.

É claro que eu estava brincando, mas não foi 100% brincadeira.

Para mim, esse jogo ou seria um 16-poucos ou seria derrota para a MiBR. E terminou 16-4. É claro que eu poderia estar errado e a MiBR conseguido arrumar todos os problemas do lado TR na Inferno – é bom lembrar também que todos os times têm tido vantagem no lado CT da Inferno. Ou seja, poderia muito bem ser um 16-14 com 8-7 e 8-7. Mas a previsão que eu tinha era essa.

A MiBR mostrou mais uma vez que seu lado CT está tão forte que dá até medo. Mas nesse jogo também não deu para ver se o lado TR melhorou ou não para o resto do campeonato, já que conseguiu 12-3 na primeira metade e ganhou o pistol da segunda – dando uma vantagem econômica de TR para conseguir a vitória de maneira tranquila.

Eu estou bastante esperançoso. Apesar da derrota para a TyLoo, ela derrotou a Mousesports (Número 4 do ranking) e a lendária G2 de maneira bastante tranquila.

É bom lembrar que a MiBR pode conseguir se tornar Legends mais uma vez vencendo Mouse, G2 e Astralis/Na’Vi/Liquid/etc. o que é surreal. No mais, nos resta esperar.

 

Abs,

Gus Oliveira.

Você pode gostar
Publicidade