Menu
Futebol

Santistas divergem ao falar de obrigação de vencer

Arquivo Geral

22/05/2007 0h00

Apesar de atuar em casa, com o apoio da torcida, e contra um adversário que não dá a mesma importância que o Santos para a Libertadores da América, a teórica obrigação de conseguir uma vitória sobre os mexicanos no duelo de quarta-feira à noite, no segundo duelo das quartas-de-final, não é unanimidade na Vila Belmiro.


 


Para o técnico Wanderley Luxemburgo, por exemplo, nem o fato de o rival ter vindo ao Brasil com apenas 14 atletas, sendo dois goleiros, e sem suas principais estrelas (como o veterano meia Blanco e o atacante paraguaio Cabañas), é suficiente para dar ao Peixe a “obrigatoriedade” da vitória e da vaga.


 


“O América não está totalmente desfigurado, tanto que contratou três jogadores apenas para disputar a Libertadores da América. O clube está fazendo justamente o que fiz em alguns jogos do Campeonato Paulista, pois sabia que haveria a possibilidade desses confrontos próximos e preparou duas equipes”, rebateu. “Não temos obrigação de passar porque eles vieram com 14 jogadores”, completou.


 


O goleiro Fábio Costa, capitão de Wanderley Luxemburgo, concordou com o treinador. Para o camisa um, pouco importa quantos membros do time mexicano vieram ao Brasil. “Se eles vieram com 14 jogadores o problema é deles, não nosso. Vão entrar 11 em campo de qualquer forma e é bobagem falar disso”, disparou, curto e grosso.


 


Aposta de qualidade pelo setor esquerdo do campo, o lateral Kléber foi o primeiro a mesclar um pouco seu discurso. O camisa três concordou com Fábio Costa e também fez pouco caso do número de atletas do América que veio para o jogo, mas avisou: a responsabilidade da conquista da vaga é do Alvinegro praiano.


 


“O fato de virem com apenas 14 jogadores não muda nada para nós dentro de campo. Por acaso vão entrar menos do que 11 para jogar?”, questionou o jogador, para, na seqüência, emendar: “Jogamos em casa e a responsabilidade é sempre nossa nesses casos. Não podemos esquecer disso”.


 


Principal estrela santista e esperança de ser o diferencial do time nesta quarta, o meia Zé Roberto engrossou o coro: “Obrigação de ganhar sempre existe, ainda mais porque é o Santos que está priorizando essa competição”, comentou. “Se eles vieram só com 14 jogadores, no entanto, é indiferente para nós.”

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado