Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Futebol

Polícia Civil prende suspeito de ameaçar Willian, do Corinthians

Foto: AFP

Na manhã desta quinta-feira (2), a Polícia Civil de São Paulo prendeu o homem suspeito de ameaçar Willian, atacante do Corinthians, por meio das redes sociais. O nome do suspeito, que tem 21 anos, não foi divulgado para não atrapalhar nas investigações.

O jovem que ameaçava o jogador da equipe paulista foi detido em sua residência, na Zona Sul de São Paulo. Por não ter sido pego em flagrante, acabou liberado, mas será indiciado pelo crime de “ameaça por meios eletrônicos”.

Denúncia

Willian recebeu ameaças por meio das redes sociais após quatro empates do Corinthians nas últimas partidas, e por isso, registrou Boletim de Ocorrência na quarta-feira (1), no Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE).

“Corinthians é tiro, é bandido, facada, time de favela, de bagunça! Não é essa p* que tá aí não, cambada de marica! Ou joga por amor ou joga por terror! Já vai tarde, tem que ser homem em dobro para vestir nossa camisa, c*”, escreveu um dos torcedores marcando o atleta.

O delegado responsável pelo caso, Cesar Saad, falou que o suspeito apenas republicou uma mensagem marcando o atleta, sem pensar na repercussão do caso. Após a denúncia, o Corinthians se manifestou repudiando o ocorrido.

Críticas

Desde que retornou ao Corinthians, em agosto de 2021, Willian não conseguiu demonstrar o mesmo desempenho que o levou a jogar na Europa. E após cinco jogos sem vitórias, o jogador acabou sendo muito criticado.

Apesar do clima, em entrevista à Gazeta Esportiva, o jogador afirmou que não tem interesses e nem propostas para deixar o Timão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Não existe nada disso (vontade de sair). Teve aqueles episódios de ameaça lá atrás, que aconteceu com Cássio e outros jogadores também, claro que não é legal, família fica assustada, mas já passou, já conversamos, tudo resolvido. Está tudo normal. A diferença é que não tinha janela perto e agora tem, aí o pessoal fica associando uma coisa com a outra”, disse Severino Silva, pai do atleta.








Você pode gostar