Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Prazeres do vinho

O que não é “CRINGE” no mundo dos vinhos

E então, você se acha meio Cringe no mundo dos vinhos? É aí que vem a pergunta: Cringe é quem bebe ou quem não bebe vinhos?

Por Dai Teixeira 05/07/2021 10h00
O que não é “CRINGE” no mundo dos vinhos

De toca discos para os serviços de streaming de áudio e dos vinhos com rolhas de cortiça para tampas de rosca muito práticas. De fato o comportamento humano e as tendências mudam de acordo com os acontecimentos no mundo e com a mentalidade da nova geração. E fazer o update para acompanhar todas essas mudanças é quase que obrigatório para os que não querem ficar fora de moda não é mesmo? Opa, fora de moda não, esse termo parece um tanto “Cringe”, talvez seja melhor usar a palavra “hypado”, certo? Enfim, será que agora quando sair um vinho que é uma novidade pode-se dizer que esse vinho é hype, ou seja, a tendência do momento? E assim não pagar um ‘mico’.

Tudo esta em movimento, e como já dizia o mestre Charles Darwin “Não é o mais forte, nem o mais inteligente que sobrevive, mas o que melhor se adapta às mudanças”. O mesmo ocorre para o mundo dos vinhos. Hoje já temos máquinas de vinho para servi-lo em taças nos bares, temos taças sem a haste, vinho em lata, bag in box, vinho verde, vinho azul e acreditem existe vinho laranja, temos os vinhos orgânicos, naturais e até os biodinâmicos.

E quem ainda não deu o start para o mundo das degustações começa a se ver refém, já que além dos apreciadores natos surge também uma leva de influenciados digitais que precisam beber vinho para socializar de forma mais contemporânea, ou seja, de forma mais moderna e atualizada. Então? Agora no meu ponto de vista quem não bebe vinho que é Cringe. E eu digo isso como prova viva de que desde que comecei no mundo dos vinhos tive que me adaptar, justamente para conseguir acompanhar o que a nova geração está consumindo.

Vinho bom é vinho tinto e seco? Muitos ainda acreditam piamente nisso até a entrada da “moda” digamos assim de se degustar vinhos não somente em restaurantes, mas em festas, winebares e até mesmo em praças no meio da cidade.

E, acreditem muitos já sofreram bullying por gostar de vinhos doces, suaves, rosés ou branco. Afinal, no senso comum, seriam esses vinhos modernos e da nova geração as opções mais populares? Enganos preconceituosos, pois vinho não tem mais esse estigma, tem sim é presença, e tão pouco é o sabor amadeirado, o frasco ou o ritual que faz dele um GRINGE.

Segurar o vinho na haste é cringe? A taça sem a haste não é cringe.

Tomar vinho no restaurante é cringe? Então tomar no bar não é cringe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Usar decanter é Cringe? Então usar um aerador não é.

Tomar vinho na garrafa com rolha de cortiça é Cringe? Então tomar vinho em lata não é Cringe

E Cringe é não convidar os amigos pra tomar um vinho. No final sempre o que vai prevalecer é você se sentir bem independente da opinião dos outros não é mesmo? E assim vamos de taça em taça ou de lata em lata.

E então, você se acha meio Cringe no mundo dos vinhos? É aí que vem a pergunta: Cringe é quem bebe ou quem não bebe vinhos?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Conta para gente quais manias que você tem que a geração Z acharia que é uma “vergonha fazer na hora de degustar vinhos”!

Hype – É o exagero de algo, ou em marketing uma estratégia para enfatizar alguma coisa, ideia ou um produto. É um assunto que está dando o que falar, é algo que está na moda e que é comentado por todo mundo. Hype também pode ser ligado à tecnologia.

Cringe – Termo de origem inglesa usado como uma gíria para se referir aos momentos em que as pessoas passam por situações constrangedoras. Nas redes sociais, inclusive, a palavra é bastante usada, significando algo como “cafona”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar