Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Estilo de Vida

Francesco Pellegatta abre debate sobre Educação Civil e Educação Militar em sua live

Em bate-papo transmitido na sexta feira, o psicólogo Francesco Pellegatta debateu os temas educação civil e educação militar com dois nomes da área: Com a Dra. Suzane Maranduba e o Comandante Sergio Locan.

Francesco Pellegatta abre debate sobre Educação Civil e Educação Militar em sua live

“Nossa educação está muito a quem do que nós precisamos”. Palavras de Sergio Locan no início da Live. Nesta breve introdução, o comandante ainda ressaltou que o Brasil é um país riquíssimo e a educação tem o poder de transformar as pessoas. Na sequencia, Pellegatta abordou as diferenças e semelhanças entre os dois modelos de ensino, o militar e o civil. Passou a palavra para Suzane que definiu a igualdade entre os dois módulos por seguirem as mesmas diretrizes estabelecidas pelo MEC. Quanto à diferença, a educadora citou o respeito ao próximo, este, mais presente no sistema militar de ensino. A respeitabilidade, na sua opinião, tem como resultado, maior enriquecimento do ensino. O comandante complementou dizendo que as bases do ensino militar são a disciplina e a organização. O sistema de repetição também foi citado por ele nos cursos de preparação.

Pellegatta abordou a questão dos debates na faculdade e pontou que a instituição não estimula a criação e discussão de ideias. Suzane fez uma observação sobre o analfabetismo funcional, que este já está nos cursos de pós graduação. Que o nível acadêmico de alunos vindos do ensino militar possui tese, síntese e antítese e que no ensino civil existe uma busca maior pelo cognitivo e diploma.

Sobre os valores que as instituições militares trouxeram para seus cursos, o comandante destacou a ética, a honestidade, companheirismo e o respeito máximo ao professor.

Francesco Pellegatta ainda questionou os convidados sobre a diferença de posturas entre as universidades públicas e privadas. Maranduba ressaltou que a universidade particular é mais flexível e tem foco maior em seus clientes, no caso os alunos.

O tema Militarização nas escolas também foi abordado nesta roda de conversa. Já que o presidente da república tinha a intenção de militarizar 100% do ensino no Brasil. Pontou ainda que, a diferença de custo por aluno das instituições são distintos. Em torno de 6 mil reais para os civis e 19 mil reais para militares. Sergio comentou que o patriotismo foi embora das escolas que não chama de militarização, mas sim o resgate de valores que são oferecidos dentro dos colégios militares.

Uma das perguntas aos entrevistados foi: O que a escola militar pode aprender que a escola civil? Suzane respondeu que o respeito ao próximo. Locan complementou dizendo que existe uma troca benéfica entre civis e militares.

Nos momentos finais da live sobre educação militar e educação civil, Suzane fez elogios à escola militar dizendo que há mais acesso a tecnologia e a instrumentos técnicos, diferente das universidades civis, tanto particulares quanto públicas. Que a criatividade das instituições civis são uma realidade. Exaltou as universidades e colégios militares por otimizarem sua verba. O comandante Locan complementou dizendo que as instituições de ensino militares trabalham baseados em planejamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As lives sobre ensino, são uma parceria entre o psicólogo Francesco Pellegatta e o jornal de Brasilia. Você pode conferir o bate-papo acessando o conteúdo no Instagram de Pellegatta.

Confira o bate-papo!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar