Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Kátia Flávia

Pantanal: Juma arranca orelha de estuprador

Filha de Maria se transforma em onça e é tomada por instintos primitivos

Por Kátia Flávia 23/04/2022 9h00
Filha de Maria se transforma em onça e é tomada por instintos primitivos

Minha gente, tô passada com Pantanal. Juma, Alanis Guillen, vai se transformar em onça pela primeira vez, como sua mãe, e será por um bom motivo. A gata se transformará para se defender de um estuprador, chegando a arrancar a orelha dele e sentir o gosto de sangue em sua boca.

“Tô sentindo o gosto do sangue na minha boca”, dirá a protagonista para o Velho do Rio, Osmar Prado, que acalma Juma e tira dela a vontade de tirar a vida do homem e sujar ainda mais suas mãos.

Tudo acontecerá quando criminosos vão até o Pantanal para caçar araras para tráfico, na expedição um dos homens ficará obcecado pela beleza da mulher onça. “Não vou lhe fazer mal, lindeza. Nem a ocê, nem a ela”, dirá o homem mostrando que está armado e pronto para usar a força se preciso for.

Muda, Bella Campos, que acompanha a moça não conseguirá reagir e ficará parada, perplexa vendo a situação acontecer diante dos seus olhos. O estuprador agarrará Juma. “Eita, oncinha danada. Fica quieta. Ocê vai gostar, diacho. E não adianta querer fugir, que eu vou atrás”, dirá o homem.

Juma se transforma em onça e começa sua vingança, arrancando a orelha do homem com uma mordida. O estuprador corre para dentro da mata, tentando escapar das mãos da menina onça, mas quem o salva é o Velho do Rio, que tira da cabeça de Juma de completar sua vingança.

“O senhor devia ter me deixado ir atrás dele. Tô sentindo o gosto do sangue dele na minha boca. Mas não sei como isso se deu”, explicará ela. “Sua mãe também não lembrava de nada”, concluirá o velho.

Não perco nenhum capítulo dessa novela que está me deixando louca. Em um relacionamento sério com Pantanal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar