Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Filme da capital federal compete em Festival Internacional de Documentários

Curta-metragem Cartas de Brasília representará o Distrito Federal no evento. Diretora brasiliense, Larissa Leite Alcântara apostou em diálogo de gerações para contar história familiar

O mais importante evento dedicado à produção não-ficcional na América Latina tomará conta da internet e de todo o Brasil de 8 a 18 de abril de 2021. Em sua 26ª edição, o É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários apresentará 69 produções de 23 países. A programação em streaming de filmes, master classes e debates estará distribuída on-line pelas plataformas Looke, Itaú Cultural, Sesc em Casa, Spcine Play, no YouTube do É Tudo Verdade e no Canal Brasil. E o melhor: de graça.

A capital federal estará bem representada. Selecionado para o Festival, o filme brasiliense Cartas de Brasília terá estreia mundial no É Tudo Verdade 2021. O curta-metragem documental tem direção e roteiro da brasiliense Larissa Leite, que se valeu de diálogos entre gerações para contar a história familiar de migrantes que presenciaram a consolidação de Brasília como a nova capital. O filme será exibido no dia 10 de abril, sábado. Com classificação livre, Cartas de Brasília ficará disponível  das 13h às 22h do dia na plataforma Looke (www.looke.com.br).

A produção integra, ao lado de oito filmes nacionais, a Competição Brasileira de Curta-Metragem. Os nove selecionados da mostra competitiva abordam temas diversos, ainda que entrelaçados pela investigação em torno da memória. A diretora Larissa Leite celebra a estreia no festival que, coincidentemente, ocorre no mesmo mês do aniversário de Brasília.

“A nossa produção foi finalizada em 2020 e já planejávamos estrear no próximo aniversário de Brasília. É uma honra levar uma visão poética da história da cidade para ainda mais longe”, afirma potencializando um brinde à capital federal que, no dia 21 de abril, completa 61 anos.

Sobre Cartas de Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cartas de Brasília acompanha os passos do migrante Eliézer Alcântara Lima, pai da cineasta, em um roteiro afetivo pela cidade. Com os 11 irmãos, o maranhense deixou o interior do estado de origem para desbravar a nova capital. A jornada começou em 1968, quando a família Alcântara decidiu buscar novas oportunidades na cidade que então crescia. Até que todos se acomodassem de vez, 20 anos se passaram. E ao longo desse período, centenas de cartas foram trocadas. Além de dar notícias, as cartas foram determinantes no incentivo mútuo para a mudança de cidade – e de vida. Eliézer foi o sexto irmão a nascer e o terceiro a se mudar para Brasília.

Após ter contato com os registros, a documentarista se motivou a investigar a história familiar em uma produção cinematográfica. “Eu lia as cartas e enxergava claramente a possibilidade do roteiro. Queria documentar a trajetória impressa ali, em papeis já desgastados pelo tempo, em movimento; em passos que voltariam ao passado e, quem sabe, trariam novos significados ao presente, à essa história particular que, ao mesmo tempo, é de tantas famílias brasileiras que apostaram em Brasília”, afirma Larissa Leite.

E para oferecer a sua versão da história, a cineasta estreante fez uma clara opção pela subjetividade. Além de revelar trechos de cartas e depoimentos de Eliézer, o curta é narrado pela própria diretora, que mergulha na memória coletiva e traz à tona suas próprias impressões. O filme ainda conta, no elenco, com todos os irmãos do protagonista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

  
Sobre o Festival Internacional de Documentários

O mais importante evento dedicado à produção não-ficcional na América do Sul foi fundado por Amir Labaki, também crítico de cinema. A primeira edição ocorreu em 1996 e, desde então, o festival tem sido realizado simultaneamente nas cidades de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), além de contar com mostras itinerantes em outras cidades brasileiras. Diante do impacto da pandemia no país, desde 2020 o festival é realizado com exibição online – priorizando a saúde, a segurança e o bem-estar de público, cineastas, equipes dos filmes, dos parceiros e do festival. O É Tudo Verdade é um evento classificatório para o Oscar®.

Agora, em sua 26ª edição, o Festival faz uma homenagem a Ruy Guerra, no marco da celebração de seus 90 anos em agosto próximo. O É Tudo Verdade também apresentaráum ciclo especial de documentários que traça um panorama da vida e obra do cantor e compositor baiano Caetano Veloso, de sua participação nos festivais dos anos 1960 às turnês internacionais dos anos 2000. Os filmes terão sessões na plataforma Spcine Play,com três exceções, apresentadas noCanal Brasile no É Tudo Verdade/Looke.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Serviço:  Exibição de Cartas de Brasília no É Tudo Verdade

Data: 10 de abril de 2021, sábado

Horário: das 13h às 22h

Classificação livre

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Local: Plataforma Looke (www.looke.com.br)

Confira programação completa: É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários (etudoverdade.com.br)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





Você pode gostar