Celebridades

Felipe Neto critica Globo e CNN por darem voz aos negacionistas da pandemia

O influenciador ainda se dirigiu aos jornalistas da GloboNews, afirmando que o papel deles é o de negar opiniões como essas, e apresentar a verdade

Felipe Neto, 32, criticou ao vivo uma atitude da emissora Globo neste domingo (2), durante uma entrevista ao canal GloboNews. O influenciador digital a acusou de ajudar a “validar” o que chamou de “negacionistas da pandemia e da necessidade de isolamento social”, citando o deputado Osmar Terra (MDB-RS), que foi entrevistado pela emissora.

“Toda semana ele fala que a próxima semana é o fim da pandemia. Ele está falando isso desde março. Falou que iriam morrer mil pessoas e continua, até hoje, arrotando que está certo em relação à pandemia”, declarou.

Questionado sobre se ele se sentaria com influenciadores que defendem Jair Bolsonaro para discutir o projeto das fake news, que é debatido no Congresso, Felipe Neto disse que “não, da mesma forma que eu não aceito aparecer na CNN Brasil pela mesma razão”. Procurada pela reportagem, a CNN não se manifestou sobre as falas de Neto até a publicação deste texto.

“A gente está vivendo hoje no Brasil um momento de validação do negacionismo, a validação do obscurantismo, a validação de pessoas e ideias que sempre ficaram no esgoto da opinião pública. E que de repente saíram dos esgotos, como ratos pela cidade, de uma forma tão violenta e grotesca, que saíram contaminando todo mundo”, disse. “Sentar-se com essas pessoas, para mim, é validá-las. E eu não posso fazer isso”.

O influenciador ainda se dirigiu aos jornalistas da GloboNews, afirmando que o papel deles é o de negar opiniões como essas, e apresentar a verdade. Citou ainda o caso de um repórter da CNN que encerrou uma entrevista comum assessor do presidente norte-americano Donald Trump, que defendia o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, afirmando que ele estava “prestando um desserviço real aos americanos”. “Existem os dois lados, mas os dois lados dentro da razoabilidade”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da FolhaPress






Você pode gostar