fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Celebridades

‘Andava no meio do mato sozinha e gritava’, diz Fernanda Lima sobre luta do pai contra Covid

Fernanda Lima usou as redes sociais para anunciar a morte do pai, que aconteceu no dia 18 de julho

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A apresentadora Fernanda Lima, 43, falou como foi enfrentar a batalha da Covid-19 que acabou tirando a vida do seu pai, Cleomar Lima, aos 84 anos, em julho deste ano. Em um bate-papo com Astrid Fontenelle, no canal do YouTube da jornalista, ela deu detalhes sobre o período conturbado.

“Foi um processo bastante doloroso. Durante esses quatro meses, durante toda essa tortura que a gente passou, andava todo dia no meio do mato sozinha e gritava, de verdade. Eu berrava. Para todos os recursos que eu pudesse ter”, disse Fernanda Lima, que ficou isolada com os pais e a família desde meados de março.

Cleomar recebeu o diagnóstico positivo para o coronavírus no início de abril e travou uma longa luta para sobreviver à doença. Fernanda ainda destacou a conexão com a natureza como principal meio para superar as dificuldades, além é claro, do apoio do marido, Rodrigo Hilbert, 40, e dos filhos, João e Francisco, 12, e a pequena Maria, de um ano.

“Claro que minha família foi muito importante. Mas você chora e uma hora tu para. Porque tipo: “Ah, não vou ficar aqui chorando na frente de todo mundo”. Dava uma vergonha chorar. Foi muito importante para mim essa coisa de estar perto da natureza, porque na natureza eu me libertei, libertei minha dor, libertei meu grito visceral”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fernanda Lima usou as redes sociais para anunciar a morte do pai, que aconteceu no dia 18 de julho. Na ocasião, a apresentadora do Amor e Sexo (Globo) fez uma homenagem emocionante em vídeo, que ganhou a trilha sonora da música “Preciso Me Encontrar”, do Cartola.

“Foi cruel não poder estar ao teu lado durante o processo todo. A única vez que consegui deixar minha bebê para pegar um avião e ir te visitar, tu já não estava mais na UTI. Fiquei abraçada em ti ouvindo essa musica do Cartola que tu tanto adorava. Eu chorava vendo teu olhar vago e observava tuas lágrimas escorrerem também. Espero que tenhas ouvido tudo que falei no teu ouvido”, escreveu Fernanda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Folhapress




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade