Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Rafa Kalimann e Belutti falam sobre parceria na segunda temporada do Arena Brahma

Iniciativa de Brahma no entretenimento tem influenciadora e cantor como apresentadores. Segundo episódio da temporada vai ao ar nesta quinta-feira

Rafa Kalimann e Belutti falam sobre parceria na segunda temporada do Arena Brahma

Se tem uma parceria que anda fazendo sucesso por aí, é a formada por Rafa Kalimann e Belutti. A dupla está de volta ao comando do Arena Brahma e, nesta segunda temporada do programa, já tem mostrado toda a irreverência e sintonia já reconhecida pelo público. A influenciadora e o cantor criaram essa amizade ano passado, justamente quando foram convidados para fazer parte do projeto criado por Brahma. O sucesso foi tanto que o programa está renovado, e o segundo episódio de 2021 vai ao ar nesta quinta-feira, dia 29, às 19h, nos canais do IGTV da marca e dos artistas.

“A gente tem um timing de comunicação parecido, que se soma muito. O Belutti é muito engraçado, e o meu desafio é sempre dar as deixas para ele trazer esse lado, que é muito bom. A gente tem conseguido se somar muito para esse projeto. É muito legal (essa parceria), tem momento da gravação que a equipe toda para e começa a dar risada, então, ninguém consegue continuar gravando. É muito bom no set, e acho que a gente consegue passar isso para o resultado final do Arena Brahma”, destaca Rafa.

Como o começo de toda nova parceria, os próprios apresentadores não imaginavam como seria o resultado dessa junção. E a sintonia aconteceu logo de início.

“Ano passado, rolou uma incógnita: eu não sabia como seria com a Rafa, se ela seria uma pessoa muito séria. Então, eu não sabia onde pisar. Mas eu tentei ser muito natural, brincalhão. Deu uma química incrível, com muito respeito de um com o outro. Deu super certo! Tanto que, depois do programa, a gente se tornou amigos. Sentia saudade de trabalhar junto e, agora, estou muito feliz de ter essa parceria novamente”, afirma Belutti.

Em sua segunda temporada, Arena Brahma traz os assuntos mais quentes do universo sertanejo, com curiosidades, brincadeiras e até mesmo os memes mais comentados da internet. Criado por Brahma, o projeto mantém a trajetória da marca de aproximar ainda mais o público de seus artistas favoritos, reforçando seu papel no desenvolvimento de conteúdos únicos e exclusivos, mostrando um lado pouco conhecido das cantoras e dos cantores.

Confira um bate-papo com Rafa Kalimann e Belutti:

RAFA KALIMANN

– Desde o último ano, você tem investido na carreira de apresentadora. Como tem sido essa experiência para você?

“Eu falo para todo mundo que essa vontade começou por conta do Arena Brahma. Foi tão divertida a primeira temporada, a gente dava tanta risada. Conseguimos nos entregar por completo. Falo que: ter a oportunidade de poder ser a gente mesmo, falar o que acreditamos e compartilhar com as pessoas é muito gostoso. Estou muito feliz”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Você vê diferença de interagir com o público das redes sociais e com o público da TV?

“É gritante (a diferença). Nas redes sociais, a gente tem controle de muita coisa, conseguimos identificar como estamos falando, e eu tenho feedback imediato. A linguagem é diferente, a aproximação com o público é outra. Quando a gente vai para TV, isso abre muito, esse leque é muito maior, a gente atinge lugares diferentes. É uma linguagem completamente oposta daquela das redes sociais. Até o fato de ter uma equipe tão maior. Nas redes sociais, sou só eu, a Rafa que pega o telefone e faz acontecer. Quando vai para TV, eu, como apresentadora, represento toda uma equipe, sou a porta-voz de toda uma equipe. Aprendo muito essa responsabilidade”.

– O que mudou da Rafa do primeiro Arena Brahma e para essa segunda edição?

“A franja (risos). Nada além da franja… Tenho um pouco mais de experiência e algumas doses extras de Brahma Duplo Malte”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Qual é o toque da Rafa que você traz para o Arena Brahma?

“Eu acho que espontaneidade. Eu falo que essa é a maior característica da Arena Brahma, a que nos aproximou do público. A liberdade que eu e o Belutti tivemos para ser espontâneos, para podermos ser a gente mesmo, para fazermos nossas brincadeiras, o improviso… Eu acho isso é o mais legal e a maior característica que que a gente consegue colocar no projeto”.

BELUTTI

– Qual é a diferença do Belutti cantor e apresentador? Dá um frio na barriga atacar de apresentador?

“No começo deu. A diferença do Belutti cantor é que ele no palco é a pessoa que a vida inteira cantou e se preparou para isso, e que aceitou o desafio de ser apresentador. Não sabemos se estamos fazendo certo ou errado, mas estamos fazendo de um jeito próprio, do meu jeito. Acho que a galera está gostando e, até por isso, a gente está de volta para a segunda temporada do Arena Brahma”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Qual é o toque do Belutti que você traz para o programa?

“O meu toque eu acho que é o estilo mais despojado, de passar a informação com humor e ter uma naturalidade de desenvolver até mesmo uma opinião própria no meio do programa, algo que nem está escrito no roteiro. Tudo isso com um pouco mais de humor e de leveza”.

– Longe dos palcos e em um programa online, qual é a diferença no relacionamento com o público? É possível manter a proximidade com as pessoas pelas redes sociais?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Não é a mesma coisa, mas já é algo. A gente tem um feedback diário nas nossas redes sociais, de tudo que a gente posta, de tudo o que a gente fala ou o que a gente escreve… A gente já tem um feedback, mas é claro que nada é tão bom quanto estar junto, estar perto. É diferente. O olho por olho não existe na internet, mas a gente consegue sentir o carinho das pessoas pelas palavras que elas escrevem e como nos acompanham diariamente. Com o Arena Brahma, a gente tem um feedback maravilhoso das pessoas que se divertem com a gente”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Como você tem lidado com a distância dos palcos durante a pandemia?

“Hoje, de uma maneira muito mais tranquila em relação a saber esperar, porque o momento ainda não dá para se pensar em nada. Mas com muita esperança de que, em breve, a gente possa matar a saudade das pessoas. A minha saudade é de subir no palco, fazer o que eu amo e sentir o calor das pessoas que gostam da gente. É uma saudade muito grande. Mas quando tudo estiver tranquilo e todos seguros, a gente volta a fazer isso”.






Você pode gostar