Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

3° Encontro de Arte Urbana nas Escolas

O envento aconteceu nos Centros de Ensino do DF e levou a cultura hip hop aos alunos da Ceilândia

Desde a sua primeira edição em 2019 o projeto ‘Encontro de Arte Urbana nas Escolas’ já foi apresentado para mais de cinco mil alunos do ensino fudamental e médio em nove Centros de Ensino nas cidades de Ceilândia, Taguatinga, Sol Nascente e Samambaia.
A proposta do projeto, patrocinado pelo FAC e com apoio da Secretaria de Cultura, é levar os pilares da cultura Hip Hop para os estudantes que nessa época de pós pandemia estão ávidos por socializar e novas maneiras de aprendizado e conhecimento. Uma vivência única que faz com que os alunos tenham contato direto na prática.

No bate-papo que ocorreu em todas as edições temas pertinentes à juventude foram abordados entre os participantes e os jovens. Racismo, bullying, violência, tolerância, inserção social e cidadania foram alguns deles.

Nos encontros uma crew de boys e bgirls; grafiteiros, mcs e rappers se reuniram para um dia com workshop de escrita de rima e batalha, grafitti ao vivo, além de apresentações de breaking e shows de rap.

Participaram @elom.ceilandia @rivas.artesvisuais @ravel.oficiall @funk.ty @chedezied @bgirl_rayane @willlockingdfzulu89 e @alana.lt

“O importante é ressaltar a participação dos alunos em todas as oficinas e a satisfação deles em criar  junto com a gente. Seja nas aulas de dança, na pintura aprendendo a grafitar ou na produção das letras para a apresentação na batalha de rimas. Os alunos são incentivados a compor uma estrofe em cima de suas próprias ideias e temas que desejam descrever e cantar”, declara Rivas, Mc e grafiteiro a mais de 40 anos no DF. O trabalho dele é conhecido na capital pelas suas rimas contundentes no grupo Álibi e nos traços marcantes e coloridos nos muros e paredes em toda parte.

O projeto é fonte de inspiração para muitos jovens que através do hip hop mudaram suas vidas.

Samuel Henrique, o bboy Samuka teve sua perna amputada aos 14 anos de idade e através de uma apresentação na escola descobriu sua vocação. Ele hoje está em turnê pela Europa competindo e já participou de um longa metragem em cartaz no Netflix. “Nunca imaginei que o breaking poderia me levar tão longe e hoje eu vejo o quanto é importante eventos como esse que nos incentivam”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante o mês de junho e julho o projeto foi apresentado em mais três Centros de Ensino e os alunos destaque que participaram das oficinas receberam certificado no final de cada edição.
 
Serviço:
3ª Edição do projeto Arte Urbana nas Escolas
Dia 15/06 – CEF 19 – GUARIROBA/CEILÂNDIA
Dia 01/07- CEF 18 – P SUL/CEILÂNDIA SUL
Dia 05/07- CEF MARIA DO ROSÁRIO  – CEILÂNDIA NORTE
Informações: www.arteurbananasescolas.com
Instagram/arteurbananasescolas








Você pode gostar