fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Início da retomada do crescimento em 2019 anima industriais do DF para 2020

Com destaque para o segmento de alimentos e bebidas e o farmacêutico, indústria da transformação também cresceu em 2019

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A retomada gradual do crescimento da atividade industrial brasiliense em 2019, após um período de queda que foi do segundo trimestre de 2014 ao primeiro trimestre deste ano, faz com que os empresários cheguem ao fim do ano confiantes e com boas expectativas para 2020. O Índice de Confiança do Empresário Industrial do Distrito Federal (Icei-DF) é o maior para o mês de dezembro em nove anos (leia mais abaixo).

Foi no segundo trimestre do ano que o setor voltou a crescer: 1,1% em relação ao mesmo trimestre de 2018, segundo o Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal (Idecon-DF), calculado pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan). No terceiro trimestre, a expansão ganhou força e foi de 1,4%. Esse movimento foi impulsionado principalmente pela construção civil, setor com maior representatividade na indústria do Distrito Federal (53% de participação no produto interno bruto industrial). Desde o terceiro trimestre de 2013 a construção não registrava variação positiva no Idecon-DF.

Na avaliação do presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Jorge Bittar, o desempenho em 2019 foi, em grande parte, estimulado por ações do governo local. Em esfera federal, ele considera a Reforma da Previdência a ação de maior impacto. “O governo local tem honrado compromissos, tem ouvido muito o setor produtivo. Os números da construção foram maiores do que a média e a gente sabe o quanto isso é impactante no Distrito Federal. Você gira a construção civil, gira o restante”, afirma.

Embora em menor grau, a indústria da transformação também cresceu em 2019, com destaque para o segmento de alimentos e bebidas e o farmacêutico. O presidente ressalta que a melhora no desempenho da produção industrial ainda é tímida e não se refletiu sobre o nível de emprego. Mas espera que em 2020 o crescimento seja mais significativo. “Se o governo local mantiver essa disposição de melhorar o ambiente de negócios, acredito que ano que vem será positivo, até porque algumas ações de 2019 só vão se refletir mais na frente. Precisamos de ações continuadas e persistentes”, pontua Jamal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja abaixo as últimas pesquisas divulgadas em 2019 pela Fibra:

Icei-DF

Índice de Confiança do Empresário Industrial do Distrito Federal (Icei-DF) alcançou 63,4 pontos em dezembro, aumento de 2,2 pontos na comparação com novembro. Foi o melhor desempenho para o mês desde 2010, quando a Fibra deu início à pesquisa mensal. O índice segue no mesmo patamar do indicador nacional – 64,3 pontos.

A confiança do industrial do DF permaneceu acima dos 50 pontos ao logo do ano. A linha de 50 pontos divide confiança de falta de confiança. Valores acima dela indicam otimismo dos industriais quanto à situação econômica. A construção foi o segmento que mais contribuiu para esse sentimento. A redução dos encargos para financiamento habitacional e a transferência da Junta Comercial do DF para a administração local animaram o empresariado, assim como a discussão da reforma tributária do DF.

O indicador de expectativas do Icei-DF para os próximos meses cresceu 2,5 pontos em dezembro – alcançou 66,7 –, com destaque para a percepção positiva sobre a economia brasileira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sondagens

Sondagem Industrial do DF mostra que em novembro a utilização da capacidade instalada teve o melhor resultado do ano: 70% – aumento de 7 pontos percentuais na comparação com outubro. Isso demonstra o aumento do uso do parque fabril. Desde o início do ano a utilização da capacidade da indústria ficou acima dos 60%. Já o indicador de produção alcançou 52,2 pontos. Cresceu 2,5 pontos.

Apesar dos dados positivos, as expectativas para os próximos seis meses em relação à demanda e ao emprego caíram. A primeira passou de 61,9 pontos para 59,8 pontos. Já a segunda alcançou 53,5 pontos – sofreu queda de 1,1 ponto.

O nível de atividade da construção, segundo a Sondagem da Construção do DF, segue no mesmo patamar de novembro – chegou a 53,1 pontos. O índice de intenção de investimentos para os próximos seis meses aumentou 17,8 pontos: passou de 33,6 em novembro para 51,4 em dezembro. Ou seja, o empresário sinaliza intenção de compra de máquinas e equipamentos e de investir em pesquisa e desenvolvimento e inovação de processo ou produto.

O Icei-DF e a Sondagem Industrial são realizados mensalmente pela Fibra, em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi do DF (IEL-DF) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com assessoria




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade