Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Motorista perde controle do carro, invade residência e mata criança de quatro anos

Raphaella Sconetto
[email protected]

Aos quatro anos de vida, Gheanny Karolyne Sousa dos Santos foi morta após um carro desgovernado atingir sua casa, enquanto ela assistia televisão. Além dela, o pai e a mãe estavam na residência, que fica na Quadra 318 do Itapoã. Os dois sofreram pequenos ferimentos e foram encaminhados ao Hospital Regional do Paranoá. A pequena foi prensada pelo veículo, por isso não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

No automóvel havia duas pessoas: Hegon Henrique Brito Xavier, o condutor, de 24 anos, e namorada dele, que é menor de idade. Segundo relatos de moradores da região, o casal brigava minutos antes. A mãe do motorista, Simone Clara, confirma a versão: “Eles estavam brigando há dois dias. Não sei por qual motivo”.

A cabeleireira afirma que o filho nunca bebeu, mas que, antes de sair com o carro, ele teria tomado dez comprimidos de calmante. A Polícia Militar fez o teste do bafômetro, que não apresentou nenhuma alteração. Por outro lado, a corporação aponta que o rapaz estava aparentemente drogado.

Hegon dirigia em alta velocidade. Em frente à casa, não há nenhuma marca de frenagem. Ele atingiu uma retenção na entrada da residência, o muro e mais duas paredes internas. A mãe acredita que o filho passou mal e não viu nada. “Ele tem asma crônica. Às vezes, por ter tomado esses remédios, ele pode ter passado mal. Porque ele não freou o carro. É um bom motorista”, argumenta.

Ao lado de Simone estava Kamila Karolyne Ferreira Barbosa, de 16 anos. Ela chorava inconsolavelmente enquanto olhava para a marca de sangue da irmã no chão. Segundo a Polícia Militar, populares retiraram o corpo da criança de dentro de casa para tentar reanimá-la, mas, quando viram que não seria possível, retornaram para dentro do imóvel.

Kamila não estava em casa na hora do acidente. Só ficou sabendo do ocorrido depois que a alertaram. “O meu cunhado me chamou, disse que tinha um monte de gente na minha casa”, conta. “Quando eu entrei vi a cena, foi horrível”, lamenta. Kamila ajudava a mãe a cuidar da criança.

Agora, ela espera que o rapaz seja preso. “Eu quero justiça, ele tirou minha irmã de mim”, protesta. Quanto às lembranças de Gheanny, ela garante que serão as melhores. “Era uma criança tão boa, calma, brincava o dia todo”, relembra.

Os pais de Kamila se feriram, mas sem gravidade. Paula Maria Ferreira de Souza e Ildebrando Ferreira dos Santos foram encaminhados ao Hospital do Paranoá. Hegon e a namorada foram levados à 6ª DP (Paranoá). Ele foi preso em flagrante e responderá por homicídio.

Devido ao estrago, família pode perder a residência

Uma equipe Defesa Civil também esteve na casa e anunciou que a residência corre risco de desabar, pois a batida afetou a estrutura. Um laudo ainda vai atestar a gravidade do estrago.

A pista que dá acesso à casa de Gheanny não possui quebra-molas. Segundo o líder comunitário Vander Lopes de Góis, 31, é comum que carros em alta velocidade passem pelo local. Ele aponta ainda só neste mês já houve um atropelamento na via, que tem cerca de 3 km. “Carros, ônibus, polícia… Todos passam rapidamente. Já vi vários acidentes com crianças. Esse mês um carro lá embaixo atropelou um cara e as pessoas quebraram o carro todo. E mês passado um ciclista estava saindo de casa e o carro veio com tudo”, lembra.

Góis conta que desde o governo passado a comunidade do Itapoã reclama da falta de lombadas. “Na época recapearam a pista, mas retiraram todos os quebra-molas. Isso tem mais de quatro anos. O outro governo disse que ia colocar, mas não colocou. Então, estão acontecendo as tragédias aqui”, critica.

Depois dessa fatalidade, o líder comunitário garantiu que vai viabilizar junto aos moradores, por conta própria, a construção de quebra-molas na pista. “A gente vai ter que se reunir para fazer, porque não dá para esperar mais ninguém morrer e o governo ter a iniciativa de vir fazer. É muito perigoso”.

Memória

  • Em março, um ônibus invadiu uma casa em São Sebastião. O casal de idosos, moradores do local, escapou porque estava nos fundos da residência. Apesar dos estragos, apenas o motorista se feriu, sem gravidade.
  • Em maio, um ônibus invadiu uma casa e feriu um idoso de 82 anos em Taguatinga Sul. Em junho, um motorista bêbado invadiu uma casa em Santa Maria e atropelou três crianças.
  • No Natal do ano passado, um carro desgovernado atravessou quatro paredes de uma igreja na Vila São José, em Brazlândia. O condutor, Rodrigo Barbosa de Araújo, de 31 anos, morreu na hora. Ninguém mais ficou ferido. (Colaborou Jéssica Antunes)

Você pode gostar
Publicidade