Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Justiça solta mulher presa por torturar e matar ex-marido

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) concedeu liberdade com uso de tornozeleira eletrônica a Elizângela Almeida de Miranda Souza. A mulher, de 41 anos, foi presa em março suspeita de torturar e matar o ex-marido com a ajuda do amante em Taguatinga.  Valdeci Carlos de Sousa, 63 anos, um servidor aposentado do Tribunal Superior do Trabalho, foi vítima de uma emboscada, segundo investigações da Polícia Civil do Distrito Federal.

O pedido de liberdade foi feito em 26 de setembro pelos advogados de defesa da suspeita. O alvará de soltura foi expedido na quinta-feira (11), determinando a imediata soltura da mulher da Penitenciária Feminina, onde estava desde a prisão. Ela não poderá deixar o Distrito Federal, precisa estar em casa todos os dias até 22h e não pode manter contato com o amante ou com as testemunhas do caso.

Relembre o caso: 

Câmeras de segurança flagraram a movimentação dos suspeitos na casa da vítima, na QNM 17. A mulher ainda tentou disfarçar a culpa informando o desaparecimento do ex-marido. Segundo informações da Polícia Civil, eles estavam separados por conta de uma relação extraconjugal e eka tirou a vida do ex-companheiro com a ajuda do amante em um crime premeditado.

A dupla dominou o idoso, o colocou no carro e passou a noite rodando pelo Distrito Federal. Enquanto a mulher dirigia, o amante, José Willamy de Melo Raiol, 26 anos, torturava a vítima no banco traseiro. Para a polícia, os envolvidos tentavam descobrir senhas bancárias. O idoso foi morto com um tiro na cabeça e seu corpo foi jogado às margens da DF-001, entre o Núcleo Bandeirante e Santa Maria. Segundo o delegado, o José mandou Elizângela cobrir o rosto do ex para que não visse a execução.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA