fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Hospital de Campanha da PMDF está pronto para abrir primeiros 50 leitos para Covid-19

A previsão é de que sejam liberados os 50 primeiros leitos até o fim de semana, sendo 30 de UTI e 20 de enfermaria

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Centro Médico da Polícia Militar, que será utilizado como mais um hospital de campanha para o enfrentamento da covid-19 no Distrito Federal, tem previsão de liberar os 50 primeiros leitos até o fim de semana, sendo 30 de UTI e 20 de enfermaria. A expectativa é que o restante dos 86 leitos e equipamentos entrem em operação até o final de julho. 

“Estamos prontos para iniciar as atividades com 50 leitos, a princípio. No decorrer da semana que vem, estaremos contemplando a abertura do restante dos leitos, totalizando 100% da operação até o fim do mês. Ou seja, estaremos com os 104 leitos liberados para os pacientes”, afirmou a diretora-geral de assistencial da empresa responsável por gerir a unidade, Dra. Ana Paula Marques.

O hospital já conta com 104 camas hospitalares, 80 monitores, 50 ventiladores mecânicos e 160 bombas de infusão, além de equipamentos de proteção individual (EPIs), insumos e um raio-X totalmente digital, que entrega exames mais rápido do que o tradicional.

Da mesma forma como foi feito no Hospital de Campanha do Estádio Nacional Mané Garrincha, todos os equipamentos instalados nesta unidade serão incorporados ao patrimônio da Secretaria e servirá para reequipar e renovar o parque tecnológico dos hospitais da rede.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com a gestora, logo que a organização social receber autorização da Secretaria de Saúde, poderá acionar os recursos humanos necessários para inciar o atendimento e receber pacientes.

A empresa contratada vai empregar 600 profissionais, necessários para atender todos os 104 leitos (84 de UTI e 20 de enfermaria) disponibilizados no futuro hospital de campanha. A quantidade inclui desde equipes operacionais a médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Todos vão trabalhar em regime de escalas.

Alterações

O contrato previa, inicialmente, 106 leitos disponíveis, sendo 86 de UTI e 20 de enfermaria. Contudo, dois deles foram perdidos devido à falta de espaço na estrutura do hospital.

“Eles estavam em locais que com a instalação de equipamentos ficaram sem espeço para a movimentação dos profissionais. Dessa forma, serão 84 leitos de UTI oferecidos no total e 20 de enfermaria”, explicou a gestora.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também está incluído no contrato , gerenciamento técnico, assistência médica multiprofissional – de forma ininterrupta –, com manutenção e insumos necessários para o funcionamento dos equipamentos e atendimento de pacientes, com medicamentos, materiais, alimentação, nutrição enteral e parenteral.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade