Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Greve dos caminhoneiros afeta a distribuição do gás de cozinha no DF

Raphaella Sconetto
[email protected]

A greve dos caminhoneiros já causa impacto na distribuição do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) – aquele usado em cozinha – no Distrito Federal. De acordo com o Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de GLP (Sindvargas),  as 570 revendedoras do gás alertaram que a falta poderá chegar aos consumidores a partir de amanhã (24).

Segundo Sérgio Costa, presidente do Sindvargas, algumas revendas já estão sem o produto. “Ele vem de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, então não estão conseguindo chegar a Brasília”, afirma.

Caso a greve dos caminhoneiros permaneça, a expectativa é de que 50% das revendedoras possam ficar sem o gás a partir de quinta-feira (24). Próximo à capital, pelo menos cinco rodovias estão fechadas e o posto de distribuição da Petrobrás teve o acesso bloqueado.

Os consumidores ainda não sentiram o impacto da falta do gás de cozinha pois algumas revendedoras possuem um estoque. “Mas essa não é a realidade. A maioria das revendas tem uma capacidade de armazenagem baixa. São poucos os depósitos com capacidade superior”, alega Costa.

Ainda não se sabe se o preço do GLP aumentará nos próximos dias devido à escassez do produto.

Sindicato apoia manifestação 

Apesar de o Sindvargas estar com o serviço afetado pela greve dos caminhoneiros que iniciou na segunda-feira (21), o presidente considera a manifestação necessária. “Muitas de nossas revendas também são transportadoras. Então sentimos na pele o que os caminhoneiros sentem com o preço alto do combustível. Até pensamos em aderir às manifestações, mas entendemos que o gás é um produto de primeira necessidade e afetaria muita gente”, aponta.

Você pode gostar
Publicidade