Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Governo recolherá material que acumula água em 12 regiões para combater o Aedes aegypti

Publicado

em

Jéssica Antunes
[email protected]

Ao custo de R$ 2 milhões, o Governo do Distrito Federal quer combater o mosquito Aedes aegypti de dentro das residências. Neste sábado (19), o governador Ibaneis Rocha (MDB) lançou o Dia D de enfrentamento ao inseto transmissor de doenças graves, como febre amarela, zika e dengue. Ao longo do dia, 16 quadras de Samambaia serão visitadas por uma equipe multidisciplinar para inspecionar e informar sobre os riscos do acúmulo de água. Todo o material não utilizado que possa acumular líquidos será recolhido.

A ação é baseada no Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti no Distrito Federal (LIRAa). Conforme o documento, o índice de infestação na capital é de alerta, pois entre 2013 e 2018 cresceu 60% o número de imóveis residências e comerciais com larvas. As áreas de risco são Lago Norte, Lago Sul, Fercal e Sobradinho II. A ação começa por Samambaia pela proximidade com Santo Antônio do Descoberto, na Região Metropolitana, que apresentaria surto de casos de dengue. No DF, em 2019, 103 casos suspeitos da doença foram notificados ao governo, além de dois de chikungunya e um de zika.

A maior força de trabalho é do Corpo de Bombeiros (CBMDF). No enfrentamento prioritário, serão 400 militares. Depois, a atuação será continua com 45 de segunda a sexta-feira, em conjunto com a Secretaria de Saúde. Segundo o governador, a verba  já estava prevista no orçamento do ano.

“Agora queremos entrar de vez na casa das pessoas, limpar a cidade e erradicar de vez a dengue do DF ou ao menos reduzir a níveis aceitáveis. Queremos erradicar o mosquito que atinge muitas famílias e leva maior atendimento hospitalar desnecessário. É uma medida inclusive de economia. Investe na área da atenção básica e economiza no atendimento hospitalar”, afirma o governador.

Osnei Okumoto, secretário de Saúde, alerta que o trabalho precisa ser contínuo. “Vamos começar uma ação educativa para demonstrar para a população necessidade de trabalhar em conjunto para controle do mosquito Aedes Aegypti. É necessário que possamos trabalhar em busca do controle mesmo quando não está chovendo”, diz.

Serão inspecionadas neste sábado (19) em Samambaia, as QR 311, 313, 315, 317, 321, 323, 325, 327, 511, 513, 515, 517, 121, 123, 125 e 127. A orientação é que moradores selecionem objetos sem serventia que possam acumular água e os coloquem na rua para que o Serviço de Limpeza Urbana os recolha. Latas, tampas, baldes, garrafas e sacos plásticos podem ser descartados.

Cuidados necessários

Os locais escolhidos para o armazenamento de água, ou mesmo as vasilhas utilizadas como bebedouros para animais domésticos, devem ser limpos, ter superfícies lavadas com escova e sabão, de maneira a eliminar os ovos de Aedes aegypti, que, porventura, estejam aderidos às paredes deste recipiente.

Os recipientes para armazenamento de água deverão ser tampados com as tampas originais ou com uma tela de trama pequena ou tecidos de tramas
fechadas, de maneira a evitar o acesso do mosquito; as caixas d’água devem passar por limpeza regular e devem estar bem fechadas. Recomenda-se ainda que os pratos que ficam sob os vasos de plantas  sejam eliminados e, quando não for possível, colocar areia nesses pratos para evitar o acúmulo de água.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade 
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade