fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

GDF pede que Educação prepare plano em 10 dias para reinício das aulas no DF

O governador do Distrito Federal, após uma reunião com o presidente nessa segunda-feira (20), já avaliava a reabertura das escolas cívico-militares

Aline Rocha

Publicado

em

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (22) o Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, encaminhou ofício para o secretário de Educação, João Pedro Ferraz dos Passos, para requerer a elaboração e apresentação, em até 10 dias contando a partir de hoje, do plano que efetivará a reabertura das escolas do Distrito Federal para reiniciar as atividades de turmas de Ensino Médio das escolas do Distrito Federal. 

Vale lembrar que Ibaneis, que vem sendo acompanhado de perto por uma equipe médica se viu em uma sinuca de bico provocada pelo presidente Jair Bolsonaro. O governador do Distrito Federal, após uma reunião com o presidente nessa segunda-feira (20), resolveu avaliar a reabertura das escolas cívico-militares.

Veja o documento:

A promessa de avaliação do pedido foi o estopim para reação de pais e mães como revela reportagem do Jornal de Brasília. O pedido de retorno às aulas nestas unidades de ensino foi feito ao governador pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que pretende autorizar na próxima semana a retomada das aulas nas unidades militares sob seu comando.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As mães dos alunos as escolas militares do DF não gostaram da decisão do governador Ibaneis. Desde segunda-feira, quando o chefe do Executivo local saiu da reunião o com o presidente Bolsonaro decidido a considerar a ideia de reabria as escolas cívico militares e as militares, pais e mães de alunos têm se organizado para impedir que isso aconteça. Entre as ações desenvolvidas está uma petição encaminhada ao governador e ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) apelando para que as unidades de ensino permaneçam fechadas.

Flexibilização do isolamento

No início da tarde dessa terça-feira (21) em entrevista exclusiva ao Jornal de Brasília, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, falou sobre a flexibilização do isolamento social, proposto para ajudar na contenção à propagação do novo coronavírus no DF. “A flexibilização precisa ser avaliada cautelosamente. Cada cidadão precisa ter cuidado. É preciso respeitar distância e o uso de equipamentos de proteção. O governo tem trabalhado muito para conscientizar a população”, explicou Araújo

Segundo ele, o movimento para achatar o gráfico de casos é manter a situação da mesma maneira. “O nosso trabalho, além de disponibilizar leito, é orientar a população para que o sistema de saúde não entre em colapso. Se depender de mim e da equipe de saúde, entre março, abril, maio e junho, o gráfico não terá um pico que deixe a população em risco altíssimo”, reforçou o secretário.

“Agora viu-se a importância do sistema público de saúde na população e tem nos ajudado muito. A atenção básica nas unidades de saúde estão funcionando mais e a gente sente isso”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade