fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Mês da Mulher: DF deve receber quatro unidades da Casa da Mulher Brasileira

São Sebastião, Sobradinho II, Sol Nascente e Recanto das Emas receberão as unidades. Ministra conta que a Casa terá novo formato

Avatar

Publicado

em

DAMARES ALVES
Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Willian Matos e Catarina Lima
redacao@grupojbr.com

O Distrito Federal receberá quatro novas unidades da Casa da Mulher Brasileira. É o que anunciou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, em discurso proferido na manhã desta segunda-feira (2).

As regiões administrativas de São Sebastião, Sobradinho II, Sol Nascente e Recanto das Emas receberão as unidades. Damares contou que tem mantido conversas com o governador Ibaneis Rocha para definir medidas de proteção à mulher, e a criação das novas unidades é uma das ações do ministério em conjunto com o GDF.

Damares falou que as casas servirão de experiência para o país. O Ministério projeta criar 27 unidades espalhadas pelo Brasil. A ministra disse ainda que pensa em um formato diferente do modelo antigo utilizado. “A Casa da Mulher Brasileira é um instrumento poderosíssimo para proteger mulheres da violência, mas no formato que foi feita no passado era muito grande. Algumas cidades e estados pequenos não conseguem manter uma casa tão grande”, declarou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Damares foi ao Palácio do Buriti nesta segunda (2). Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

Acessibilidade

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, chamada de Ligue 180, tem por objetivo receber denúncias de violência à mulher, bem como orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário. Sobre o Ligue 180, Damares anunciou uma novidade.

“Toda violência contra mulher pode ser denunciada pelo 180. E agora nós temos uma novidade: nosso 180 vai receber videochamadas. Com isso, mulheres surdas e mudas poderão fazer denúncias de violência pelo 180”, contou a ministra, revelando, também, que o Ligue 180 e o Disque 100, usado em prol dos direitos humanos, trabalharão juntos a partir de agora.

Proteção às outras classes

Damares também falou de mulheres idosas que sofrem violência. A ministra declarou que a violência contra o idoso é o terceiro tipo de violência que mais acontece no país.

“Nós não tínhamos políticas públicas para mulheres idosas no Brasil”, afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Nós estamos recebendo imagens de mulheres idosas amarradas, acorrentadas morando em chiqueiros no fundo do quintal, e os filhos usando os cartões de benefício das mulheres idosas. As mulheres ainda em pé nos ônibus, e os meninos folgados sentados. Como é que eu poso imaginar uma nação que não respeita mulheres idosas?”

Damares também fez menção às mulheres mães de crianças com doenças raras,  às ciganas e as portadoras de necessidades especiais. Sobre as PNEs, a ministra afirmou que “essas mulheres são vítimas das mais variadas violências possíveis: o esquecimento, o abandono, a dor, o preconceito, a discriminação…”


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade