fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Caminhões serão proibidos na pista que passa pela barragem do Paranoá

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Rafaella Panceri
[email protected]

O tráfego de caminhões será proibido na pista que passa por cima da Barragem do Paranoá. Veículos leves de até dois eixos e ônibus estão mantidos, mas também podem ter proibição decretada pelo Governo do Distrito Federal (GDF), além de redução de velocidade de 50 km/h para 40 km/h. A data de início da restrição dependerá do que constar na ordem de serviço feita pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) e que deve ser publicada amanhã (30).

O chefe do Executivo local solicitou um laudo sobre a situação da Barragem do Paranoá à Companhia Energética de Brasília (CEB) na última sexta-feira (25). O documento foi apresentado ao governador e a representantes das secretarias de Mobilidade e de obras e infraestrutura, além do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e da da Defesa Civil no Palácio do Buriti na tarde desta terça-feira (29).

Segundo o presidente da CEB, Edison Garcia, o laudo “diz que a barragem está normal” e a classificação de risco é baixa. No entanto, Ibaneis pediu um novo relatório para mitigar riscos. O primeiro e mais recente, feito em 2017, seria refeito apenas em 2024.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Presidente da CEB, Edison Garcia sobre barragem do Paranoá. Foto: Renato Alves/GDF

Trânsito intenso pode ser um problema no futuro

 

Ambos mostraram um problema admitido pela própria CEB: o tráfego de veículos por cima da barragem. “Pode gerar risco à segurança da barragem. A pista é tratada como um viaduto, e há um declive muito grande para acesso. Isso não é visto em nenhum lugar do País. Se um caminhão perde o freio, o peso e o desvio de rota podem gerar acidentes”, reconhece Edison Garcia.

Segundo o presidente, a pista foi projetada para veículos leves utilizados na operação da barragem, mas, com a expansão da cidade, começou a ser usada pela população. O peso e o calor são causas de fissuras no asfalto, que deverão ser reparadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) em até 30 dias. A via dá acesso ao Paranoá, e sua região rural, e aos Lagos Sul e Norte.

Além das mudanças no trânsito, o laudo aponta para a necessidade de impermeabilizar a pista de rodagem, implementar drenos e revitalizar a sinalização. O DER deverá comunicar os usuários da via e implementar o controle de velocidade e de acesso dentro do prazo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade