Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Síndico agredido em Águas Claras consegue medida protetiva

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Águas Claras recebeu a denúncia contra o acusado e o proibiu de manter qualquer tipo de contado com a vítima

Por Evellyn Luchetta 24/05/2022 10h02

O síndico e jornalista da TV Brasil, Wahby Abdel Karim Khalil, de 42 anos, agredido com um soco na cabeça pelo professor de educação física, Henrique Paulo Sampaio Campos, conseguiu uma medida protetiva contra seu agressor.

O juiz substituto da 2ª Vara Criminal de Águas Claras recebeu a denúncia contra o acusado e o proibiu de manter qualquer tipo de contado com a vítima ou testemunhas, sob pena de ter sua prisão decretada.

Na denúncia, o Ministério Publico do Distrito Federal e Territórios narrou que o acusado teria cometido crime de lesão corporal grave ao desferir um soco no rosto do síndico do prédio onde mora.

Ao decidir, o magistrado entendeu que estavam presentes os requisitos para receber a denúncia, bem como concedeu o pedido do MPDFT para aplicar medida restritiva que proíbe o acusado de tentar qualquer tipo de comunicação com a vÍtima ou testemunhas. Além disso, determinou a citação do réu para apresentar defesa.

Relembre o caso

A situação toda ocorreu na manhã de uma quinta-feira, em 17 de março, no condomínio Residencial Luna Park. Após inúmeras reclamações dos moradores, sobre o barulho que o saco de pancadas instalado na academia do condomínio fazia, o jornalista resolveu, como síndico, conversar a respeito com o professor de educação física, Henrique Paulo Sampaio Campos.

Além do barulho, o educador que é também morador do condomínio, teria instalado o saco de pancadas sem autorização, o que estaria causando rachaduras no teto da academia.

Durante a conversa na própria academia, a situação saiu do controle quando o educador físico resolveu partir para a agressão contra o jornalista. Tudo foi gravado pelo circuito interno de monitoramento do condomínio. Nas imagens, é possível ver o jornalista, o profissional de educação física, e um funcionário do residencial conversando próximo ao saco de pancadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em determinado momento o professor de educação física se altera e gesticula mais intensamente. Repentinamente, ele desfere um soco contra o rosto de Khalil, que imediatamente cai ao chão, sem resistência, como se tivesse desmaiado.

O funcionário tentou intervir, mas diante da postura agressiva do professor de educação física, se afastou. Em nenhum momento o educador físico tentou prestar socorro ao jornalista, pelo contrário, continuou falando e gesticulando contra Khalil, ainda no chão e desnorteado.

O caso foi registrado como lesão corporal na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) e Khalil foi encaminhado ao hospital Santa Lúcia Sul para atendimento. De acordo com informações levantadas pela defesa do jornalista, o profissional de educação física já teria praticado outras agressões, inclusive já teria agredido o síndico em uma reunião de condomínio.

A vítima teve hemorragia cerebral devido ao soco sofrido, o que poderia provocar convulsão e meningite. Na unidade hospitalar, o síndico também recebeu os tratamentos para os inchaços na boca e olhos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar