Menu
Brasília

Prosus instaura procedimento para apurar suposto vazamento de dados de pacientes com HIV

A iniciativa ocorre depois de duas vítimas, pacientes do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), relatarem ter sido extorquidas

Redação Jornal de Brasília

19/06/2024 23h38

10/05/2023 O promotor de Justiça do MPDFT, Clayton Germano, durante fotos na Sala de Imprensa. FOTO ED FERREIRA/MPDFT.

A 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) instaurou procedimento para investigar o suposto vazamento de dados sigilosos de pacientes com o vírus da imunodeficiência humana (HIV, na sigla em inglês) no âmbito criminal. Já existe um procedimento, cível, que acompanha o sigilo de dados de todos os sistemas da rede pública.

A iniciativa ocorre depois de duas vítimas, pacientes do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), relatarem ter sido extorquidas por criminosos, supostamente de posse de seus dados pessoais e de diagnóstico.

O promotor de Justiça Clayton Germano faz um alerta a todas vítimas de crimes de extorsão que não paguem qualquer vantagem (com dinheiro, favores, outros bens e valores, etc) aos criminosos, porque a extorsão nunca cessa, mas só aumenta, e procurem as Instituições de investigação e persecução penal como o Ministério Público, resguardando mensagens, bilhetes e telefones de contato para inícios das investigações.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado