Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

PMDF prende dupla de estelionatários que atuava em Brasília

A dupla instalava um dispositivo conhecido como “chupa-cabra” nos caixas eletrônicos, que retinha o cartão de créditos de clientes

A Polícia Militar prendeu dois homens acusados de integrarem um grupo especializado em aplicar golpes em clientes de agências bancárias, neste sábado (23), no Lago Norte.

A dupla instalava um dispositivo conhecido como “chupa-cabra” nos caixas eletrônicos, que retinha o cartão de créditos de clientes. Em seguida eles se apresentavam como funcionários da instituição e orientavam as vítimas a ligarem para o número da central telefônica para liberar o cartão. A central fazia parte do esquema e as vítimas eram convencidas a passar vários dados pessoas, inclusive a senha do cartão. Neste momento o cartão era clonado e posteriormente os estelionatários realizaram saques.

De acordo com as autoridades, a prisão ocorreu depois que funcionários do Shopping Iguatemi desconfiaram da dupla e acionaram a PMDF. Uma equipe foi ao local e encontrou os suspeitos em um gramado próximo do Shopping. Eles tentaram despistar os policiais dizendo que eram de São Paulo e que estavam apenas passando pelo local. Ao serem revistados, foi encontrado uma chave de carro e um cartão bancário cortado ao meio.

O circuito de segurança flagrou os suspeitos nos caixas eletrônicos e depois pulando a grade do shopping até um automóvel que estava estacionado em um restaurante. Lá, eles trocaram de roupa e seguiram pelo gramado no momento que foram abordados pelos policiais militares.

No carro, os policiais encontraram R$ 4 mil, três máquinas de cartões, um dispositivo “chupa-cabra” e três smartphones. O veículo havia sido alugado em Minas Gerais.

Os detidos foram levados à 9ª Delegacia onde foram autuados por estelionato. A dupla tem passagens pela Polícia do estado de São Paulo por estelionato. Eles são suspeitos de estarem aplicando o golpe há pelo menos duas semanas no Lago Norte, Lago Sul e Asa Norte. Pelos menos cinco ocorrências já foram registras com as mesmas características.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar