Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Paranoá Parque terá parcelamento para atividades econômicas

Terreno de 9,26 hectares é propriedade da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e será destinado a abrigar uma Área de Desenvolvimento Econômico (ADE)

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

O Setor Habitacional Paranoá Parque passará por um processo de parcelamento do solo. O projeto foi aprovado pelo Conselho de Planejamento Territorial Urbano do Distrito Federal (Conplan) e tem o objetivo de gerar mais emprego e renda para a população local. A iniciativa contou com 31 votos favoráveis dos conselheiros durante a reunião virtual promovida nesta quinta-feira (22). As informações são da Agência Brasília.

O terreno de 9,26 hectares é propriedade da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e será destinado a abrigar uma Área de Desenvolvimento Econômico (ADE). Os lotes terão dimensões médias e grandes, voltados a atividades como indústrias, estocagem e prestação de serviços, além de uso institucional.

“São 14 lotes na área, dos quais dez são para indústria e comércio e quatro para uso institucional. A ideia com o Paranoá Parque é descentralizar os serviços, levando um novo fluxo para a região, incrementando postos de trabalho ao lado de casa, para quem mora no Paranoá e no Itapoã, por exemplo”, informou o diretor técnico da Terracap, Hamilton Lourenço Filho.

É inegável a contribuição que o projeto trará para a população local, na avaliação da relatora e secretária executiva de Planejamento e Preservação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Giselle Moll.

“Vai ofertar lotes que podem gerar empregos e renda junto às áreas residenciais, reduzindo tempos de deslocamento e contribuindo, assim, para reduzir a dependência por postos de trabalho e prestação de serviços, em relação a outras regiões administrativas do DF”, explicou Giselle Moll.

O espaço fica localizado entre a Rodovia DF-015 e o Paranoá Parque, com vias que se conectam diretamente aos principais acessos viários do DF. A ideia é que também servirá de suporte para as áreas ocupadas e para a regularização do espaço. Contará ainda com três lotes para fins religiosos, buscando atender a demandas dos moradores do local.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar