Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Oito pontos de vacinação estarão abertos no aniversário de Brasília

Unidades funcionarão das 9h às 17h para aplicação da primeira e da segunda dose

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Na data que marca o aniversário de 61 anos de Brasília, o Governo do Distrito Federal (GDF) vai abrir oito pontos de vacinação contra a Covid-19. Os locais serão utilizados para a aplicação da primeira e segunda dose da vacina. O público-alvo, idosos com 64 anos ou mais e integrantes do grupo prioritário que já receberam a D1 e estão com data marcada para a D2, pode procurar um desses pontos, das 9h às 17h, para receber o imunizante. Haverá atendimento tanto por drive-thru, quanto para pedestres.

Confira quais são os locais:

A vacinação no feriado contará com o apoio do laboratório Sabin, Sesc e Secretaria de Justiça. O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, destaca a importância da imunização com a D1 e a necessidade de completar o esquema vacinal. “As vacinas atualmente ofertadas no Brasil são seguras e aprovadas pela Anvisa e por órgãos internacionais de saúde. A CoronaVac e a AstraZeneca têm eficácia comprovada para proteger quem recebe as duas doses contra o coronavírus”, destaca.

Vacina de Oxford

Okumoto reforça que há estudos que comprovam a eficácia e segurança desta vacina. “A eficácia e a segurança das vacinas são monitoradas constantemente pela Anvisa. Devido a isso, a orientação é que os idosos compareçam aos pontos de vacinação para serem devidamente vacinados contra a covid-19”, disse o secretário.

A Referência Técnica Distrital de Infectologia da Secretaria de Saúde e coordenadora da Câmara Técnica Covid-19, Lívia Vanessa Ribeiro, explica que “a associação da vacina com formação de coágulos foi reportada com evento adverso pela associação médica europeia. Entretanto, sabemos que o risco de desenvolvimento de fenômenos tromboembólicos associados à covid-19 é em torno de 16%, enquanto de desenvolver algum coágulo é de bem menos do que 0,05%”.

Ainda de acordo com Lívia, “o momento é de alerta, pois estamos em uma fase delicada em relação à covid-19, com alta taxa de transmissão e internações hospitalares em decorrência da covid-19”. Além da vacina como principal estratégia de controle da pandemia, outras medidas não farmacológicas como distanciamento social devem ser adotadas.

Ou seja, a população-alvo pode e deve procurar as salas de vacina para receber a primeira dose sem receios quanto à segurança do imunizante. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz a vacina no Brasil, explicou por meio de nota sobre a divulgação de análises sobre possível relação entre eventos extremamente raros de coágulos sanguíneos associados à baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia) e à aplicação da vacina Oxford/AstraZeneca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a Fiocruz, “os casos bastante raros observados, com possível relação com a vacina, continuarão sendo investigados. Recomenda-se fortemente a continuidade da vacinação, pois os benefícios superam em muito os riscos. A vacina oferece alto nível de proteção contra todos os graus de severidade da covid-19”, destacou a fundação.

No mundo, mais de 200 milhões de pessoas já receberam a vacina Oxford/AstraZeneca, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em comunicado, a OMS reforçou a necessidade de mais estudos para compreender totalmente a potencial relação entre a vacinação e possíveis fatores de risco. Além disso, o órgão destacou que os eventos adversos raros após imunização em massa são comuns de serem identificados e nem sempre estão ligados à vacinação, entretanto, devem ser investigados.

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar