Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

“Novo Lázaro” pode pegar até 120 anos de prisão

O suspeito foi preso no sábado (4), em Gameleira de Goiás, após ficar uma semana desaparecido. Na ocasião, uma fazendeira o convenceu a se entregar

Foto: Reprodução

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, que confessou ter matado a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro em Corumbá de Goiás-GO, deve responder por sete crimes. As penas ultrapassam 120 anos.

O suspeito foi preso no sábado (4), em Gameleira de Goiás, após ficar uma semana desaparecido. Na ocasião, uma fazendeira o convenceu a se entregar.

Desde que fugiu de Corumbá, a polícia montou uma força tarefa com foco de atuação em Abadiânia (GO) e Alexânia (GO). Os policiais usaram helicópteros e contaram com o auxílio de cães farejadores.

Criminoso desde 2019

O procurado já havia tentado matar outra mulher em 2019. À época, no depoimento sobre o caso, Wanderson debochou da situação perante a juíza. A magistrada perguntou se ele havia cometido o crime, e ele, rindo, disse que não se lembrava do que aconteceu. Depois, ele mudou a versão, confessou a tentativa de homicídio e disse que ingeriu bebida alcoólica e drogas momentos antes.

O caso teria ocorrido após Wanderson chegar em casa e obrigar a irmã de sua madrasta a entrar com ele em um quarto. A jovem se negou, e o suspeito teria começado a esfaqueá-la e só parou após a faca quebrar. Em seguida, ele fugiu e se escondeu em uma casa vizinha. A vítima foi socorrida e levada ao Hospital Municipal de Goianópolis.

Admiração por Lázaro Barbosa

De acordo com pessoas próximas a Wanderson Mota Protácio, durante as coberturas do caso Lázaro, em junho deste ano, Wanderson acompanhava e demonstrava admiração pelo criminoso que foi morto ao ser capturado pela polícia após semanas intensas de busca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar